Amazônia

EL PERRO DEL HORTELANO Na comédia escrita em 1618, Lope de Vega conta histórias de amor, ciúmes, intrigas, traições, fofocas. O cenário é um castelo, por onde desfilam criados, lacaios, mordomos, camareiras, condes, duques e nobreza. A malvada condessa de Belflor infer...

Detalhes

No regresso noturno, cumpro o gesto / de buscar o local, em cada porto / onde possa esconder um sonho morto. Alcides Werk (1934 – 2003), poeta amazonense Dois poetas: um, Ernesto Penafort, morreu em 1992 e o outro, Alcides Werk, em 2003. A lembrança de suas mortes, com...

Detalhes

  “No puede Oviedo decir cosa chica ni grande, porque no fué digno de lo ver ni de lo entender” (Bartolomé de Las Casas, Historia de las Indias, T. V, p.116).   Nessa segunda-feira de carnaval, milhões de foliões, despreocupados com os destinos da pátria, caíram irrespo...

Detalhes

. Numa crônica divertida, Nelson Rodrigues afirma que os ingleses não existem. A Inglaterra é, portanto, uma paisagem sem ingleses. O inglês, tal como o imaginamos - ogentleman de porte altivo, maneiras elegantes, dotado de sense of humour - é produto da nossa fantasia....

Detalhes

.O padre Fritz viajava em desobriga por seringais do Acre e pernoitou no tapiri de um caboco às margens do rio Tarauacá, onde jantou farofa de tartaruga preparada no casco dela, na própria gordura, com muita cebola, cheiro-verde e pimenta murupi ao molho de tucupi. Comp...

Detalhes

. O Museu do Homem, em Paris, conhece muito bem o homem que nesta segunda-feira de manhã partiu, deixando o Amazonas de luto. A biblioteca dessa instituição coleciona artigos de pesquisadores franceses, alemães e americanos que passaram por Manaus e agradeceram publicam...

Detalhes

.O livro “O complexo da Amazônia”, de Djalma Batista (1976 – Editora Conquista) tornou-se uma espécie de “bíblia”para todos aqueles estudiosos interessados em entender a Amazônia.Nele, o autor sistematizou conhecimentos produzidos em diversas áreas do saber e, generosam...

Detalhes

.Quem planta uma árvore, planta uma esperança. Lucy Larcom (1824-1893), poeta norteamericana A árvore era pequena. Devia ter o quê? Uns quatro metros? Vá lá que seja: cinco metros. A copa era acanhada, estreita, com pouca ramificação. Normalmente não devia chamar a a...

Detalhes

Como foi possível crescer assustadoramente a população de focas e ursos polares em Nhamundakistão? Somente a História, que é a ciência do homem no tempo, pode responder a tal pergunta. A Amazônia, ocupada pelos povos indígenas durante milênios, foi disputada no tapa por...

Detalhes

."Xerxes e Zulmira leem juntos". Esta frase ocupava a última página dos antigos cadernos de caligrafia e era copiada exaustivamente pelos alunos, às vezes como castigo, com o objetivo de treiná-los a escrever, no caso, as letras "x" e "z". No canto superior da página, a...

Detalhes

Por que estudantes são obrigados a enfrentar um vestibular, professores e funcionários um concurso, enquanto reitores não se submetem a qualquer prova de conhecimento? Isso, além de injusto, representa um perigo: eleger incompetentes para o mais alto cargo nas universid...

Detalhes

.Aos três cavaleiros do Apocalipse – Terêncio, Jaci e Aldo. Em 1919, no auge da crise econômica, um seringalista foi representar o falido estado do Amazonas em Londres, num colóquio internacional para analisar a situação da exportação do produto da seringueira. Ele já h...

Detalhes

Em meados do século XIX, quando quase 60% da população recenseada da jovem Província do Amazonas era constituída por índios aldeados – sem contar os milhares de índios isolados que não foram recenseados - o índio tinha um preço. Com uma população reduzidíssima de escrav...

Detalhes

- "O deputado Aldo Rebelo me agrediu, bateu no meu corpo com um porrete, rasgou minha camisa, tentou me eliminar a mando da senadora Kátia Abreu! Há testemunhas. Estou registrando a queixa. Ele vai pagar caro por essa agressão, vai perder a eleição".Quem fez essa denúnc...

Detalhes

  ´Charapa´ é o nome que no Peru e no Equador se dá a um cágado que vive nos rios, lagos e floresta da Amazônia. Essa espécie de tartaruga, de casco negro com manchas amarelas, corresponde ao nosso tracajá. É com essa palavra que os peruanos denominam todos aqueles que ...

Detalhes

O PAPA NO BECO DA BOSTA Embora viva num palácio em Roma e fale latim, o papa ainda tem poder para fazer a cabeça de muita gente humilde que ele não conhece.Ele se apropria de mentes e corações, pauta os temas das conversas e determina o que cada um pensa e sente e até ...

Detalhes

Tinha 87 anos, 60 dos quais dedicados ao jornalismo esportivo. Despediu-se há duas semanas, deixando na orfandade uma legião de leitores fiéis que o seguiam, com fidelidade canina, a cada domingo, religiosamente, como quem vai a missa. Abríamos sempre o jornal no cadern...

Detalhes

Paca, tatu, cotia sim. Esses e outros bichos desconhecidos na Europa foram encontrados no litoral brasileiro e na Amazônia pelos portugueses, que tomaram emprestado das línguas indígenas os nomes de animais, peixes, plantas, práticas culinárias, tecnologias tradicionais...

Detalhes

Está cientificamente comprovado: o excesso de adjetivos mata. Quem morreu assim,em 1905,soterrado por uma avalanche de adjetivos, foi o português Joaquim Rocha dos Santos, um lisboeta que migrou para o Brasil aos 11 anos de idade e fez carreira em Manaus como delegado d...

Detalhes

O que é fato e o que é invenção? O escritor Milton Hatoum deu conferência magistral sobre a fronteira porosa entre ficção e realidade na abertura do V Encontro de Letras e Artes em Campos dos Goytacazes (RJ), cujo tema era territórios da memória. Tive a sorte de ouvi-lo...

Detalhes

Numa ladeira tortuosa da ala sul do Cemitério Père Lachaise, em Paris,estão enterrados muitos "indigentes". Entre eles,na Quadra 56, três amazonenses, "barões da borracha" falidos, que morreram na capital francesa na maior pindaíba, arruinados com a crise de 1914 depois...

Detalhes

Uma foto e um livro. A foto recente de uma paulista de Sorocaba, de 15 anos, com criança indígena no colo, diante de uma casa de palha em Manaus, gerou enorme polêmica e mais de mil comentários nas redes sociais com xingamentos, insultos e vitupérios.O livro é do histor...

Detalhes

- Que horror, Babá, que horror! Djalma Batista, o filho, com as duas mãos empalmadas encobrindo o rosto, repetia muitas vezes a frase, prolongando os erres, como se isso pudesse potencializar o horrrorrr. Foi numa discussão apaixonada em 1964, no Colégio Estadual do Ama...

Detalhes

O estrondo da pororoca é sempre espantoso, mas nós não arregamos. Éramos apenas três amazonenses para enfrentá-la na mesa redonda "Os desafios da Amazônia no século XXI": o poeta Aldísio Filgueiras, a ex-reitora da Universidade Estadual do Amazonas, Marilene Corrêa e o ...

Detalhes

A Lei da Tilápia, também conhecida como Lei Linguacu, serviu de modelo para o estabelecimento de alianças no campo político com sérias repercussões na eleição para prefeito de Manaus. Essa Lei Ordinária - e bota ordinária nisso - foi sancionada pelo governador José Melo...

Detalhes

Cerca de 190 universidades brasileiras foram ocupadas em protesto contra PEC 55 que congela os gastos públicos. A Universidade Federal do Pará, tomada por alunos, abriu as portas para um megaevento - o 5º Congresso Internacional de Estudos Linguísticos e Literários na ...

Detalhes

Quando tomar posse, em 2017, um vereador recém-eleito de Manaus (PTN, vixe, vixe) quer propor a construção no Encontro das Águas de um monumento a Ajuricaba com 30 metros de altura, algo similar à Estátua da Liberdade ou ao Cristo Redentor. Retoma assim antigo projeto d...

Detalhes

MALÁRIA, POESIA E OUTROS BICHOS "Ah! a poesia aqui, / meu filho, / é uma doença tropical". (Aldísio Filgueiras - Malária e outras canções malignas) Numa linguagem delirante e febril, o poeta Aldísio Filgueiras diagnostica ironicamente a poesia como uma patologia loc...

Detalhes