Alexandre de Moraes

“Vontade de mudar as cores do vestido (auriverde) tão feias/ de minha pátria, De minha pátria sem sapatos / E sem meias, pátria minha / tão pobrinha!”. (Vinicius de Moraes, 1949) Neste sete de setembro, vejo da janela do apartamento pessoas vestidas de verde-amarelo des...

Detalhes