CRÔNICAS MAIS ACESSADAS

CRÔNICAS RECENTES

Paris é uma festa: o Hemingway de igarapé

Paris é uma festa: o Hemingway de igarapé “Só existem dois lugares no mundo onde podemos ser felizes: em casa e em Paris”, Ernest Hemingway. Paris é uma festa. 1964 Desde o período áureo da borracha...

A morte e as mortes do historiador Pablo Macera

“Quisiera estar presente el día de mi entierro / para ver si entre la gente están los que yo más quiero”. (Margot Palomino. Huayno El olvido.) Engana-se quem crê que o historiador peruano Pablo Macera...

O incêndio na casa de reza: obra do Curupira?

A queima de fogos em Copacabana anunciava o ano novo quando, longe dali, um fogo criminoso incendiava a Casa de Reza – a Opy - dos Guarani-Kaiowá na aldeia Laranjeira Nhanderu, município de Rio Brilh...

No tempo em que as escolas cantavam

Fulana catibiribana seja matutana firifirifana. (Canção infantil do Amazonas) Há 20 anos, uma amiga jornalista me telefonou angustiada. A revista Manchete, onde trabalhava, fechara as portas e ela est...

Cláudio Santoro: um século de silêncio no Amazonas

“As estirpes condenadas a cem anos de solidão não tinham uma segunda oportunidade sobre a terra”. Gabriel Garcia Márquez: Cem anos de solidão. 1967 Há cem anos, nascia em Manaus, na rua Oriental, n...

Prêmio Tracajá da Literatura de Igarapé: JOGYM

É como se eu tivesse conquistado o Prêmio Nobel da Literatura. Fiquei tão mexido que não sei nem por onde começar. É melhor, então, começar pelo começo. Retrocedo a 1869 e registro a inauguração do Ly...

140x140

18637848

ACESSOS AO SITE