Rio Negro (Am)

Os índios Tuyuka, do rio Tiquié, afluente do Rio Negro, inventaram, entre outras formas de aprendizagem, a aula-passeio. O professor sai com os alunos, percorrendo áreas da comunidade. As crianças observam, escrevem e desenham. E como se faz a avaliação? “A gente chama ...

Detalhes

Era uma vez um diabo que não tinha fiofó... Eu já te contei, leitor (a), essa história do diabo que não tinha fiofó? Não? Ela circula nas aldeias indígenas do alto Rio Negro. A versão que conheço é a dos índios Tariana, também denominados de Taliaseri, e foi contada em ...

Detalhes

.No início de novembro tive o raro privilégio de subir o rio Tiquié, afluente do Vaupés, e de entrar no santuário da Terra Indígena Alto Rio Negro (AM). Lá, ministrei uma oficina de história para professores e alunos da aldeia Bote Puri Bua. Convivi, por mais de uma sem...

Detalhes

  Tinha olhos esverdeados, muitos sonhos e um sorriso moleque. Era pintoso, como se dizia na época. Tocava violão e fazia serenatas. Batucando numa caixa de fósforos, vivia cantando o samba de Wilson Batista: "Dolores Sierra vive em Barcelona, à beira do cais". As menin...

Detalhes

Aqui se cruzam: este é o rio Negro, aquele é o Solimões! Imagina, Maria, que suas águas se misturam, imagina que não existe - que nunca existiu - o espetáculo esplêndido e singular conhecido no mundo inteiro como “encontro das águas”, que nelas não vivem botos e peixes ...

Detalhes

Durante a semana, de 16 a 22 de outubro, convivi com três índias em Santa Isabel(AM). Adelina, Larissa e Adilma participaram com mais 50 índios do II Curso de História Indígena no Médio e Alto Rio Negro.Elas são netas legítimas da Ye´pá-Bahuári-Mahsõ, a Avó do Mundo que...

Detalhes

"Manaus, terra dos Barés / dos igarapés / rios colossais" Hino a Manaus - Letra de Madre Dias. Talvez a freira que escreveu o hino a Manaus, Madre Dias, só tenha mencionado os Barés para poder rimar com igarapés. Os Barés pareciam tão irreais quanto "tuas róseas madruga...

Detalhes

- Pai Nosso que estais no céu, santificado seja o Vosso Nome, venha a nós o Vosso que diabo é isso... Era assim que índios Tukano de uma comunidade do Rio Negro rezavam em sua língua materna, quando o padre Casimiro Béksta lá chegou na década de 50. Intrigado, ele inve...

Detalhes