CRÔNICAS

A SENHORA MÃE DO PREFEITO

Em: 09 de Janeiro de 2005
Tags:
Visualizações: 1667

.Os capítulos da novela “Senhora do Destino” estão particularmente eletrizantes nessa semana, porque algumas cenas estão ambientadas em Manaus, com personagens locais, de carne e osso. Os leitores alienados que não gostam de novela devem se informar com aquelas pessoas conscientes que não perdem um lance. Aí vai uma sinopse dos próximos seis capítulos.

Segunda-feira - O prefeito de São Miguel da Baixada Fluminense, Reginaldo Ferreira da Silva – o Naldo – depois de matar Cigano, desvia uma nota preta dos cofres da Prefeitura e deposita tudo em sua conta particular na Ilha Jersey. Sua mãe, Maria do Carmo, cria uma CPI (Crescilda Procura Investigar) para descobrir os podres do prefeito. Enquanto isso, Leandro, o Corno, vestido há mais de trinta capítulos com a mesma camisa azul tendo por baixo uma camiseta branca, consegue finalmente trocá-la por uma camisa amarela. O deputado Thomas Jefferson (PFL – viche! viche!), com sua cara de babacoide, janta no Restaurante Monsieur Vatel com o seu colega parlamentar, Madeira-de-lei Ave Lino (PFL – viche, viche!). Os dois comem pirarucu-de-casaca (pirrarrucu de casacá, como pronuncia Edgard) e na sobremesa, doce de cupuaçu. Com os olhos arregalados, Nazaré espera Cláudia subir as escadas, provocando um grande suspense. Ai, que meda!
Terça-feira – O garçom Viriato Marcelo Antony, que por sinal é amazonense, escuta toda a conversa entre os dois deputados do PFL (viche, viche!). Eles combinam que a Baroa Laura, com aquela boca de quem acaba de comer abiu, deve entrar na folha de pagamento da Prefeitura, juntamente com seu marido, o Barão Cortez e algumas centenas de colunáveis e socialites. Viriato avisa, então a Crescilda. A CPI - Crescilda Procura Investigar – pede ajuda do experiente vereador de oposição Praci Dias. Ele assessora, descobrindo que Viviane, mulher do Naldo, antes de ser internada no hospital, esquentava notas fiscais frias de sua empresa fictícia, a Recall Chutadora Tucumã. O garçom Viriato papa Maria Eduarda numa terceira lua-de-mel para inveja da macharada que vê a novela. Ubiracy também morre de inveja, mas diz que seu maior sonho é ser Maria Eduarda. Cansada de esperar Cláudia, Nazaré procura uma Imobiliária, e compra um terreno na Estrada dos Franceses para reconstruir nele o saudoso “Lá Hoje”.
Quarta-feira – Desesperado com as conclusões da CPI, o prefeito Naldo pede ajuda a seus amigos para saber como é que pode se livrar da cassação, do processo judicial e da prisão. Convoca um time da pesada, os melhores especialistas do ramo. De Tefé, chega Hélio Bessa (primo do Taquiprati) que roubou um milhão do Fundef e conseguiu fugir sem problemas. De Eirunepé, vem Edy Monteconrado. De Novo Aripuanã, Hilton Pinto e de Coari, Adail Pinheiro. Eles aconselham Naldo. Enquanto isso, o corpo do Cigano é encontrado na Reserva Duke, na Zona Leste, ao lado de uma garrafa de vinho e de uma vela vermelha com formato de mulher. Edgard dá umas raquetadas em Isabel pra ela deixar de ser lesa. Isabel, então, recobra a lucidez, procura Maria do Carmo gritando: “mamãe, mamãe”. O jornalista Dirceu, causando inveja apenas ao Giovanni Wilker, papa Maria do Carmo. Guilhermina Gabriela fica com ciúmes.
Quinta-feira – A operação da Polícia Federal ‘Baixando na Baixada’, vasculha a casa de Naldo e descobre que ele cometeu vários crimes, entre os quais lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e formação de quadrilha. Naldo pede assessoria do ex-deputado Cordeirinho e de dois empresários envolvidos na Operação “Farol da Colina”. Sebastião abandona a mocréia de sua mulher, que fala assoprando a dentadura, e foge com Guilhermina Gabriela, a filha de sua ex-patroa. Edgard Legrand, o chef de cuisine, inspirado em “Mulheres Apaixonadas”, volta a dar umas raquetadas em Isabel, que grita pra ele: “meu amor, meu amor”. Nazaré convida Jacques para ser gerente do novo “La Hoje” e ele aceita para honrar a memória de Djenane. Leandro, o Corno, com a mesma camisa de sempre, consola Nalva e papa a Cláudia, a melhor atriz da novela, deixando todo o macharal enciumado. Guilhermina consegue tomar na Justiça o Diário de Notícias, deixando o jornalista Dirceu desempregado. Considerando o alto nível profissional de Dirceu, Cirilo o contrata como repórter do Diário do Amazonas. Dirceu aceita e se muda pra Manaus, onde Maria do Carmo pretende abrir uma filial da sua loja de material de construção.
Sexta-feira - Naldo fica insatisfeito com a assessoria de Cordeirinho e contrata os serviços de Egberto Podrão. Egberto Podrão inventa que Crescilda tem um caso com Ubiracy para desmoralizar a CPI. Nazaré dá uma grande festa de inauguração do “La Hoje”, onde o deputado Thomas Jefferson (PFL, viche, viche!) aparece vestido de baiana. Maria Eduarda abandona Viriato e Cláudia abandona Leandro. As duas viajam para Manaus, com passagens de milhagem comprada em Juiz de Fora, para encontrar Dirceu. Na redação do Diário do Amazonas, conhecem o Taquiprati e ficam perdidamente apaixonadas por ele, apesar de sua idade já um tanto quanto avançada, de suas barbas brancas, de uma labirintite aguda e de um bico de papagaio. As duas saem no tapa. Taquiprati deixa de escrever e vai viver com as duas. Os leitores morrem de inveja. Maria do Carmo também vai pra Manaus em busca de Dirceu.
Sábado – A CPI produz um relatório que leva a Câmara de Vereadores a cassar o mandato de Naldo. Naldo é preso. Dirceu volta para São Miguel da Baixada, é eleito prefeito e assume o poder municipal. Encontra uma lista de mais de dois mil funcionários temporários da Prefeitura, uma grande parte dos quais não trabalha, mas recebe polpudos salários. Viviane visita Naldo na prisão, seduz o carcereiro, que deixa Naldo fugir. O ex-prefeito da Baixada se esconde em Manaus, onde visita Nazaré no novo “La Hoje”. Numa discussão, Nazaré empurra Naldo, que rola escada abaixo, morrendo. Maria do Carmo, a senhora do destino, mãe do prefeito, é a única mulher a subir o Boulevard Amazonas, acompanhando o caixão, acompanhada de seus filhos Leandro, vestido com a mesma camisa azul dos capítulos anteriores, Viriato e Plínio Coelho Ferreira da Silva, que apareceu nessa história somente no capítulo do último dia, porque trabalha muito mal. Aguarde os próximos capítulos.
P.S. A novela continua. Hoje, Lula completa 738 dias de governo, sem demarcar a Terra Indígena Raposa/Serra do Sol em áreas contínuas.

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário