CRÔNICAS

Trump, Jair e Tracajá: com o fiofó na mão

Em: 10 de Janeiro de 2021 Visualizações: 3931
Trump, Jair e Tracajá: com o fiofó na mão

Quase todos os jornalistas da editoria de internacional, nos anos 1930-40, exibiam suas próprias fotos nas colunas portando um indefectível cachimbo na boca ou um charuto, o que lhes dava ar de especialista no assunto. Numa polêmica com um deles, Leon Trotsky ironizou:

- Esse cara, só porque fuma cachimbo, crê que pode explicar o que acontece no mundo.

Não fumo cachimbo, nem charuto. Não sou, portanto, capaz de avaliar a invasão do Congresso dos EUA nesta quarta-feira (6) por uma horda de neofacistas e supremacistas brancos insuflados por Donald Trump. Tentativa de golpe? Terrorismo doméstico? Insurreição? Sei lá. O que sei se limita às contraditórias versões do noticiário televisivo. Confesso que para mim política internacional é como química inorgânica: não entendo bulhufas.  

No entanto, por via das dúvidas, pego o meu petynguá guarani, dou uma baforada e assim me qualifico para tentar entender, pelo menos, por que Trump, sempre tão truculento e arrogante, afinou o bico de quarta para quinta-feira e ficou tão submisso e comedido. Só isso. E não precisa ser comentarista internacional para tal sondagem. Basta recorrer à experiência de vida no bairro de Aparecida, em Manaus, que já viveu tudo o que acontece ou ainda vai acontecer no mundo, como comprova a briga de vizinhos e a mudança súbita do velho Luís Tracajá em processo similar ao de Trump.   

Mister Tracajá

Deixa-me te apresentar o mister Luís. Alguém deu-lhe o apelido de Tracajá, por causa da cabeça totalmente careca cheia de manchas amarelas idênticas às existentes na carapaça convexa e ovalada do quelônio irmão da tartaruga amazônica – o tracajá - que dá um sarapatel supimpa com sua carne saborosa.

O nosso Luís Tracajá morava na rua Gustavo Sampaio. O quintal do seu vizinho João Barbosa era um pouco mais elevado e quando chovia a água escorria para lá e daí vazava muito devagar para o vizinho do outro lado, o Nardo Treme-Treme, escoando em seguida para o quintal da Leonor e depois para a rua.

Inconformado com o tempo lento de escoamento, Tracajá aproveitou a missa do sétimo dia de morte do velho Barbosa, quando não ficara ninguém na casa vizinha, e convocou o exército que comandava formado por seus filhos Pé-de-pincha, Boca-livre, Pororoca e Pretinho. Ordenou que invadissem o quintal vizinho e bloqueassem com cimento a passagem da água. Na primeira chuva, o lago não drenado adentrou a casa da dona Elisa, que diante da inundação, pegou um cano e abriu furos no muro para facilitar a drenagem.

Armou-se um tremendo bafafá. Tracajá a ameaçou com uma nova obstrução. Ela, valente, contestou:   

- Eu quebro o seu casco se o senhor tapar outra vez – dizia, brandindo o cano de ferro.

- Seu marido era um cachaceiro vagabundo – xingou Tracajá, conhecido por ser supersticioso e por temer as almas do outro mundo, em cuja presença acreditava piamente.  

Foi aí que o filho da dona Elisa, de 14 anos, deu o xeque-mate:

-  Seu Tracajá, a alma do papai vai vir para infernizar sua vida.

Encagaçado e tremebundo, ele recuou:

- Retiro o que disse, vizinho. Retiro o que disse.

Eis o que eu queria dizer: a frase que circula até hoje na família pode explicar o recuo de Trump.

Retiro o que disse

O inquilino da Casa Branca tachou as eleições que o derrotaram de fraudulentas, sem qualquer prova, e empenhou-se em desmoralizar o sistema eleitoral americano, o mesmo que o elegera há quatro anos. Com retórica hostil e falaciosa, usou as redes sociais para açular um bando de delinquentes armados a invadirem o Capitólio, com o objetivo de impedir a certificação da vitória de Biden, numa operação que resultou em cinco mortes, mais de 50 feridos e quebra-quebra generalizado, além de roubo de computadores dos congressistas e apreensão de armas.

No discurso que fez em frente à Casa Branca para uma turba exaltada e armada, além de uma declaração de amor ‘We love you’, buscou cumplicidade com os manifestantes, vaticinando que “nunca concederiam a vitória a Biden”, dando sentido a ação dos depredadores. Entre eles, havia militantes supremacistas brancos armados do grupo Proud Boys e outros vestidos com camisas “Nós somos Qanon”, uma apologia à organização de extrema-direita para quem Trump é o comandante de uma delirante “luta contra uma rede de pedófilos adoradores de Satanás infiltrados na imprensa e no próprio governo”.  

A insensatez criminosa de Trump foi condenada unanimemente por representantes de diferentes instituições, nacionais e internacionais e até por membros do seu próprio partido, além das redes sociais que bloquearam suas contas. A possibilidade de ser chutado pra fora do poder sem concluir o mandato que se esgota em pouco mais de uma semana, a chance de ser incriminado e processado, inclusive corresponsabilizado por 5 mortes, fizeram com que Trump, com o fiofó na mão, afinasse a sua voz. Depois da merda feita, aconselhado por seus advogados, ele mudou seu discurso radicalmente e abandonou seus apoiadores à própria sorte:  

- Aos que se engajaram em atos de violência e de destruição, eu digo que vocês não representam o nosso país. Para aqueles que desrespeitaram a lei, vocês irão pagar.

É o caso dele, que desrespeitou a lei. Que pague!

Cadê aquele Trump todo poderoso, agressivo e racista, homofóbico e mentiroso? Foi um prazer inenarrável ver aquela petulância derreter.

Trumpinho de igarapé

A atitude de Trump é o sonho de consumo de Jair, o Trumpinho de igarapé que sempre demonstrou submissão incondicional e vergonhosa ao seu ídolo americano. Por enquanto, ainda rosna aquela retórica falaciosa, jura que a eleição de 2018 na qual foi vitorioso foi fraudada: “Tenho provas em minhas mãos que vou mostrar brevemente” – ele disse num evento em novembro de 2019 em... Miami. Foi o único dirigente de um país que não condenou a invasão ao Capitólio e ainda fez ameaças: “Se o Brasil não voltar ao voto impresso, enfrentará problema pior que nos Estados Unidos”.

Seu ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, permaneceu mudo e só muito depois dos acontecimentos, não em nota oficial, mas no twitter, assumiu parcialmente o “retiro o que disse, vizinho”. Declarou que “há que se lamentar e condenar” as manifestações de seus comparsas de extrema direita nos Estados Unidos, mas orientou o FBI a “investigar se houve participação de elementos infiltrados na invasão”. Vai ver, petistas se infiltraram e promoveram o quebra-quebra para culpabilizar Trump.

Bolsonaro e Ernesto Araújo expõem o Brasil ao ridículo no cenário internacional ao seguir caninamente essa eloquência fajuta, fazendo pronunciamentos em nome próprio, que estão muito longe de uma postura republicana.

Que ninguém se impressione com o discurso do Trumpinho de igarapé. O Brasil, que já ultrapassou 200 mil óbitos, é o segundo país do mundo em número de mortos por Covid: Brasil acima de tudo! Perde apenas para os Estados Unidos – America First - com 370.000 vítimas. As almas de mais de 570 mil mortos irão infernizar a vida dos dois. Todo Trump – ouviu Jair? – tem seu dia de Tracajá.

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

21 Comentário(s)

Avatar
CARMEM LÚCIA MOURA FIGUEIREDO PORTO comentou:
18/01/2021
Um prazer que não tem preço, ler suas crônicas.
Comentar em resposta a CARMEM LÚCIA MOURA FIGUEIREDO PORTO
Avatar
Nívea Sasse comentou:
14/01/2021
Adorei professor, que em 2022 o Jair derreta também.
Comentar em resposta a Nívea Sasse
Avatar
Helga Seabra comentou:
14/01/2021
Adorei !!Trumpinho do Igarapeé e' otima!!Saudades José Bessa
Comentar em resposta a Helga Seabra
Avatar
Rui Machado comentou:
12/01/2021
PARABÉNS, gosto muito dos seus textos. Mas desse "Tracajá de Brasília" nem o sarapatel eu quero, e olha que eu sou "baré" e adoro um bicho de casco.
Comentar em resposta a Rui Machado
Avatar
Thinia Fulnio comentou:
12/01/2021
Saudades meu caro guerreiro das forças ancestrais, quanto tempo, sinto falta das nossas prosas! Admiro sua forças, mestre das palavras, peço as forças divinas, que alumie cada vez mais sua existência. Thini-á fulni-ô
Comentar em resposta a Thinia Fulnio
Avatar
Lilian Nabuco Dos Santos comentou:
12/01/2021
Querido Bessa, adoro a lâmina fina e certeira do seu humor, é necessária. Estava com saudades!
Comentar em resposta a Lilian Nabuco Dos Santos
Avatar
Luiza Helena comentou:
12/01/2021
Sempre bom ler suas crônicas e melhor ainda saber que você tá bem!!
Comentar em resposta a Luiza Helena
Avatar
Serafim Correa comentou:
11/01/2021
Publicado no Blog do Sarafa https://www.blogdosarafa.com.br/trump-jair-e-tracaja-com-o-fiofo-na-mao/
Comentar em resposta a Serafim Correa
Avatar
COMBATE RACISMO AMBIENTAL comentou:
11/01/2021
Postado no Blog Combate - Racismo Ambiental https://racismoambiental.net.br/2021/01/10/trump-jair-e-tracaja-com-o-fiofo-na-mao-jose-ribamar-bessa-freire/
Comentar em resposta a COMBATE RACISMO AMBIENTAL
Avatar
Rui Martins Direto da Redação comentou:
11/01/2021
Postei no Direto da Redaçao do correio do brasil. Bom 2021! https://www.correiodobrasil.com.br/o-trumpinho-de-igarape/ Abraços
Comentar em resposta a Rui Martins Direto da Redação
Avatar
Márcia Elisa Rendeiro (via FB) comentou:
11/01/2021
Torço muito para ver tão logo possa o Trumpinho a caminho do ralo também. Gratidão Bessa, excelente.
Comentar em resposta a Márcia Elisa Rendeiro (via FB)
Avatar
Vera Nilce Cordeiro Correa (via FB) comentou:
11/01/2021
Sempre vc me faz lembrar de coisas e pessoas da terra, desopilo! Qto ao trumpinho de igarapé espero que vire logo de esgoto, junto com trumpao
Comentar em resposta a Vera Nilce Cordeiro Correa (via FB)
Avatar
Eloiza comentou:
10/01/2021
Sensacional esse texto!
Comentar em resposta a Eloiza
Avatar
Josias Pimentel comentou:
10/01/2021
Como já foi dito aqui em inglês, o impeachment de Trump tem várias consequências na vida pessoal dele: 1) perde a pensão de presidente para o resto da vida; 2) perde 1 milhão de dólares por ano destinado às viagens de ex-presidentes; 3) deixa de ter acesso aos relatórios do serviço secreto; 4) perde a possibilidade de se candidatar outra vez a presidente da republica em 2024. É basicamente por isso que ele está com o c... na mão.
Comentar em resposta a Josias Pimentel
Avatar
Décio Adams,IWA comentou:
10/01/2021
Prezado Bessa! Se me permite, eu diria que ao Trump nessa situação se aplica aquele "velho deitado", aliás, velho ditado que diz: "Quem tem hm... tem medo". Resolveu botar o rabinho entre as pernas e botar seu cavalinho protegido da chuva. Alguém deve ter soprado no ouvido dele que não esquecesse de que seu telhado é de vidro, até bem fino por por sinal. Ao deixar de ser presidente passará de pedra a vidraça. E o que vai ter de petardo voando contra elas não vai ser mole, ou então eu não sei nada do povo americano.
Comentar em resposta a Décio Adams,IWA
Avatar
Tuta Merthiola comentou:
10/01/2021
Muito boa a crônica mano, a analogia com o tracajá tem tudo a ver !
Comentar em resposta a Tuta Merthiola
Avatar
Maria do Céu Freire comentou:
10/01/2021
Cacete, Babá, como consegues fazer essa conexão de fatos? Ficou muito boa. Se o Bozo é Trumpinho do igarapé, o Tracajá poderia ter sido o Trumpinho do Beco da Bosta ou dos Tocos
Comentar em resposta a Maria do Céu Freire
Avatar
Denis Jdlc comentou:
10/01/2021
Avatar
Paula Marcondes comentou:
10/01/2021
Está circulando isso nas TLs: For those wondering if it’s worth impeaching him this time, it means he:1) loses his 200 k + pension for the rest of his life; 2) loses his 1 million dollar/year travel allowance; 3) Loses lifetime full secret service detail; 4) lose his ability to run in 2024
Comentar em resposta a Paula Marcondes
Avatar
Emílio Moreira Santos comentou:
10/01/2021
Tomara que o Bicho pegue para esse Doido também.
Comentar em resposta a Emílio Moreira Santos
Avatar
Ana Silva comentou:
10/01/2021
Excelente, refinado e satírico como sempre, Bessa.
Comentar em resposta a Ana Silva