CRÔNICAS

UNIBIÓTICA, NUNCA MAIS!

Em: 29 de Abril de 2012
Tags:
Visualizações: 13363

 

- Oi! Você não quer "fazer unibiótica" comigo?
Olhei prum lado, pro outro, pra trás. Ninguém! Naquela hora, 6:10 da madrugada, o calçadão da praia, onde praticava o meu cooper, estava deserto. Era óbvio, portanto, que o convite só podia ter sido endereçado a mim. Mesmo assim, duvidei. Ah! Essa minha timidez com as mulheres! Inseguro, gaguejei:
- Tá falando comigo?
Estava sim. Ela confirmou. Era uma mulher dos seus trinta anos. Não era nenhum "avião", mas eu também, coitado, não sou nenhum piloto de Boeing. Era bonita, ossuda e de olhos tristes.
Meu coração deu uma acelerada. Fiquei com uma vontade danada de dizer que estava afinzão, querendão fazer aquela coisa com ela, embora eu não soubesse que diabo era "unibiótica". Deduzi rapidamente: uni é um só, bio é vida, e ótica, bem, ótica é ponto de vista. Da minha ótica, podia ser qualquer coisa: saliência, por exemplo. Vai ver, ela está me convidando para unirmos nossas vidas e nossos corpos num só, como na cantata em lá maior do Paulinho Kokay. Será?
Foi aí que ouvi a voz do Mestre Moa - o grande mulherólogo do Amazonas aconselhando-me como nos velhos tempos:
- Primeira lição: nunca recuse qualquer convite de uma mulher. Jamais! Jamais! Jamais! - ele repetia, com a mesma convicção doutoral com que, em sala de aula, ensinava o teorema de Pitágoras ou os dispositivos de Briot-Ruffini.
Já te apresentei o Mestre Moa, leitor? Não? Que falha! Moa é o Moacir Lima, meu amigo, matemático, professor da Universidade Federal do Amazonas, nas horas vagas mulherólogo de profissão, aposentado. Quer dizer, aposentado como docente, mas em franca atividade como pensador sobre as complexas relações homens & mulher, para as quais vem dedicando especial atenção nos últimos anos. Convenceu-me da utilidade das matemáticas, porque conseguiu desenvolver um modelo teórico que aplica o cálculo das probabilidades ao processo de sedução.
As cantadas do Moa são todas respaldadas pela ciência. Por isso, segui os seus conselhos. "Sim, topo fazer ´unibiótica´ com você - eu disse à mulher dos olhos tristes. "Onde você mora? - ela disse. "Aqui pertinho" - eu disse. "Então, vai buscar uma toalha e uma garrafa de água, que eu te espero aqui" - ela disse. "Ta bem. Volto já", eu disse.
Desci correndinho a rua, depois desse disse-disse, antes que decidisse mudar de ideia. No caminho, temores me assaltaram. E se fosse uma armadilha? E se quiserem me dar um flagrante de assédio sexual, sabendo que o "taquiprati" é forte, mas a carne é fraca, aliás, fraquíssima?
De qualquer forma, por precaução, ao chegar à praia verifiquei se havia alguém com uma máquina fotográfica detrás de alguma palmeira. Mas quem eu vi foi ela, a ossuda de olhos tristes, cercada - que decepção! - por umas vinte velhotas, cada uma delas com toalha e garrafinha.
Ela apresentou-se. Era instrutora, paga pela Prefeitura para dar aulas gratuitas de educação física às pessoas da terceira idade. Pediu-me para preencher uma ficha com nome e endereço "para o pessoal da Secretaria ver que tem muita gente boa frequentando" . Devolvi a ficha preenchida e ela falou:
- Vamos começar nossa ginástica unibiótica. Hoje temos um novo participante.
Todo mundo aplaudiu. Em seguida, as velhotas deitaram na toalha estendida sobre a areia. Eu também. A instrutora se aproximou de mim e fez um teste, beliscando meu chulezão. "Atenção! Seu pé caído é o esquerdo" - ela me disse. "E daí?" - eu pensei, sem perceber que diabo era um pé caído.
Daí, começaram os exercícios. Movimentos rápidos, paradas bruscas. Entre um e outro, todos nós bebíamos um ou dois goles de água, "bem devagarzinho, como se estivesse mastigando," ensinava a instrutora.
- Irrigação! - ela gritou, como se fosse marcadora-de-quadrilha de São João. As velhas deitadas levantaram os braços e as pernas, tremelicando com eles. Tentei imitá-las como pude. Parada. Dois goles de água "mastigada".
- A água purifica o corpo e renova as células - pregou a instrutora, dogmaticamente, passando ao exercício seguinte:
- Leque com o pé caído - ela gritou. Macaqueando as velhotas, comecei a me abanar com o meu pé esquerdo. Paradinha. Gole d´água.
- Acelerador - gritou novamente. Agora, com o pé direito no ar, eu fazia movimentos como se estivesse acelerando um carro. Os movimentos simples e complexos dos exercícios colocavam em jogo toda a massa muscular. A instrutora marcava o ritmo, recitando frases, como quem canta rap: - "Eu-sou-feliz-porqueu-me-amo. Eu-sou-feliz-porqueu-te-amo. Eu-sou-feliz-porqueu-me-aprovo". Exigia que todos repetíssemos a ladainha. Censurou:
- O senhor Mauro está de boca fechada. Vamos, seu Mauro, repita!
O senhor Mauro, leitor, era eu, o único homem do grupo, o bendito-é-o-fruto. Confesso que cometi uma falsidade ideológica. Na hora de preencher a ficha, escrevi o endereço certo, mas com vergonha do ridículo, lasquei o nome do meu dileto sobrinho, que adotei como filho: Mauro Freire de Souza. Profissão: publicitário.
- Agora o exercício do peixinho!. Vamos, seu Mauro: eu-sou-feliz-porque-me-amo...
Ela veio fiscalizar de perto, se eu estava mesmo recitando. Fiz igualzinho o Dunga, cantando o Hino Nacional antes dos jogos da Copa América, num gesto que os italianos definem como "dire l´orazione della bertuccia", o que equivale a "rezar a oração do macaco", ou seja, fingir que se reza, apenas movendo os lábios. Parada. Dois goles: glute, glute.
- Vamos ao exercício do sapinho - comandou a instrutora.
Ah, amigo leitor, você não tem a menor ideia do que é o "pulo do sapinho"! Se na outra encarnação eu nascer sapo, me suicido enforcado no próprio cordão umbilical. É melhor morrer, do que fazer aquilo que a instrutora me obrigou a fazer. É assim: deitado, você coloca as mãos como se estivesse rezando e dá uma tesoura com as pernas. Aí, faz os movimentos de um sapo pulando, só que deitado com a barriga pra cima. Nessas alturas, eu já estava com o corpo todo moído, como se tivesse levado uma surra. As duas bundas, eu as sentia, como se estivessem desparafusadas, se descolando do meu corpo. Estava literalmente desbundado. O sapinho é fogo, leitor. É phoogo mesmo, com "ph" de farmácia, dois "o" de cooperativa, dois "d" de toddy e dois "a" de caatinga.
No início, eu havia me sentido um gatinho no meio das velhotas. Mas agora, já não conseguia mais acompanhar o pique delas. Humilhante! Simplesmente hu-mi-lhan-te! Enquanto elas pererecavam, o sapinho me nocauteava. Como se não bastasse, o exercício seguinte foi o denominado ‘João Teimoso’, onde você, sentado como um Buda, sobre suas próprias pernas, balança o corpo pra frente, pra trás e pros lados.
- Seu Mauro, é o corpo toooooodo, não é só jogo de ombro não.
Estava arrasado com o ritmo alucinante. Como é que aquelas velhas aguentavam e eu não? Doía-me até os músculos da alma. Felizmente, veio a paradinha, o glute-glute. Fiquei aliviado, quando a instrutora gritou:
- Relaxar. Hora da meditação transcendental!
De olhos fechados, ouvíamos ela falar, com fanatismo, que a unibiótica cura o câncer e a Aids. Aí, né, ela leu aquele texto manjado:
- Obrigado, Senhor! Como é maravilhoso, Senhor, ver tantos aleijados e pernetas, e eu com os meus pés. É maravilhoso, Senhor, com tantos cegos no mundo e eu posso ver. Com tantos surdos, Senhor, mas eu posso ouvir, tantos perebentos e caspentos e eu com a pele sadia... e por ai foi, fazendo a apologia de um individualismo doentio, achando que o mundo era pai d´égua, porque as pessoas estão ferradas e eu não. Era a filosofia do "Fogo no mundo, que eu não me chamo Raimundo!!!"
Uma hora, contada no relógio, de exercícios, goles d´água e lavagem cerebral. Porrada no corpo e agressão ao espírito. Eu era um trapo humano, parecia que me haviam colocado dentro de um liquidificador. E o pior de tudo: não havia mais qualquer chance do senhor Mauro roer os ossos da ossuda-de-olhos-tristes. Foi aí, então que veio o final apoteótico. A instrutora agarrou minha mão, deu a outra para uma velhinha, as velhinhas todas se deram as mãos, fizemos uma roda para cantar uma ciranda de despedida. Não sei que cara eu tinha, porque ela falou:
- O senhor Mauro está com vergonha? Se tiver, não precisa entrar na roda. Tem que ser espontâneo!
Olhei pros quatro cantos. Não vi nenhum político corrupto, nem minhas duas primas Dodora e Rosilene, que costumam andar nesta hora no calçadão. Se elas me vissem, impiedosas como são, eu estava lascado. Então, com vergonha de ter vergonha, respondi:
- Que vergonha que nada. Vamos lá!
E saí, rodopiando com as velhotas, cantando "eu-sou-feliz-porque-me-te-amo", com a música desta "ciranda quem me deu foi Lia, que mora na ilha de Itamaracá". Se tivesse um fotógrafo a serviço dos meus adversários, ele lavava a égua.
- Seu Mauro, esperamos o senhor amanhã, no mesmo horário.
Taqui-pra-ti, oh! Unibiótica, nunca mais! O mestre Moa um dia ainda me paga.
P.S. Para atender o pedido de dois leitores, essa crônica foi redigitada e incluída no site Taquiprati. Muitos anos se passaram e, de vez em quando, chega para o meu endereço correspondência endereçada a Mauro Freire de Souza, com propaganda da unibiótica. Guardo a correspondência para mostrar ao meu neto Palmito, quando crescer, afim de que ele não entre na fria em que entrou seu pai. Unibiótica, nunca mais. Never more! Jamé de la vie. Ramás.

 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

37 Comentário(s)

Avatar
Élida Ferreira comentou:
17/03/2015
kkkkkk... Adorei sua crônica, pena que não gostou da ginástica Unibiótica. Li sobre ela hoje e achei muito interessante. Ouvi falar do travesseiro de madeira para quem tem problemas na coluna, fui pesquisar ... o que levou a ler sobre a Medicina Japonesa do Prof. Katsuzo Nishi , acho que a Unibiótica surgiu dela. Mas acho que se vc tivesse continuado os encontros para a ginástica seria produtivo..kkkk Abç. Contato de Élida Ferreira
Comentar em resposta a Élida Ferreira
Avatar
Hélio Costa comentou:
16/10/2014
Com alguns sintomas de falta de circulação entrei na internete para pesquisar algo a respeito. Fui para o tio google e digitei: remédios para má circulação. Depois fui para ginásticas para circulação. Foi então que cheguei na tal unibiótica. Li. Assisti vídeos. Gostei! Legal, pensei. Vou ver mais alguns sites. Foi quando me deparei com "Aqui-pra-ti, unibiótica nunca mais" Caramba! Eu estava meio cansado (era noite) e bastante tenso. Milagre!!! Quando terminei de ler a crônica eu estava completamente relaxado e rindo como um panaca, sozinho em meu escritório. Sensacional!!! Parabéns! Quero ler muito mais "coisas" escritas pelo Senhor "Mauro". Obrigado;
Comentar em resposta a Hélio Costa
Avatar
Irene Vasco comentou:
04/11/2013
Mauro, kkkkkk , morri de rir. que linda crônica ... estava eu aqui triste e resolvi ler meus emails... um amigo mandou-me adoooooooorei. Parabéns !És escritor ..claro ! não precisava nem perguntar. sou carioca e lendo a crônica tive a nítida imprenção de te conhecer. Você deve ser desses cariocas bem gozador. Meu lindo não sei quem você é, mais com certeza ... Você tornou meu fim de tarde muito feliz ! Obrigada! Contato de Irene Vasco
Comentar em resposta a Irene Vasco
Avatar
24/09/2012
Adorei - no início é assim mesmo - mas depois tudo torna natural - amo a unibiótica - obs: estou precisando do HINO DA UNIBIÓTICA - cantado .( tenho a letra , mas cantado não , quem tiver e puder me passar ficarei agradecida ) . Contato de maria de fatima correa silva
Comentar em resposta a maria de fatima correa silva
Avatar
pgcGHcwYcFRDYA comentou:
08/06/2012
Li um post de voceas sobre colocar adsnese no wordpress ente3o pensei que poderia me ajudar estou tentando instalar meu blog no google analytcs tem como fazer isto o meu blog e9 gratuito e este1 no servidor do wordpress. Desde je1 agradee7o a atene7e3o.Respondendo: Alo Jfanior. Ne3o se pode colocar anfancio em blog no servidor do wordpress. Para utilizar os anfancios tem que contratar uma hospedagem para seu site.
Comentar em resposta a pgcGHcwYcFRDYA
Avatar
Vania Cyrino comentou:
06/06/2012
Babá, Dizer que sou sua fã é redundância, mas não posso deixar de registrar o quanto vc me fez rir com o seu artigo "Unibiótica". Vc se superou. Agradeço a Deus por existir pessoas como vc. Beijos Vania
Comentar em resposta a Vania Cyrino
Avatar
Edevar Da Ré comentou:
09/05/2012
Sem duvida eu ja me JULGUEI TOLO e apressado! Mas agora que li tua cronica me aceitei como TAL OBRIGADO he he
Comentar em resposta a Edevar Da Ré
Avatar
Fábio Machado comentou:
08/05/2012
Sem dúvida uma das mais engraçadas, digo, engraçadona Rá! ;D \O Muito boa! Lí e já relí e como sempre não consigi segurar a gargalhada, fico imaginando as cenas....MUITO OBRIGADO POR COMPARTILHAR ESSA BRILHANTE NARRATIVA DE UM EPISÓDIO ÉPICO DE SUA VIDA, E POR NOS FAZER MAIS FELIZES... Obrigado e abraços Fábio
Comentar em resposta a Fábio Machado
Avatar
Luciene Glória comentou:
07/05/2012
Incrível! Como você descreve as situaçoes com uma realidade e uma linguagem ímpar!!! Fiquei até com dor no estômago de tanto rir... Glória a Deus pelo teu trabalho e glória a Deus por vc ser amazonense e contribuir de forma tão valiosa com as tuas obras.
Comentar em resposta a Luciene Glória
Avatar
Lilian Nabuco comentou:
05/05/2012
Bessa, me desculpa mas dava quase tudo pra te ver fazendo o "sapinho" e cantando "eu-sou-feliz-porque-me- amo", envergonhado, cercado de velhinhas mandando ver! Mas cá entre nós, em matéria de mulher não leve tão a sério os conselhos do teu amigo mulherólogo: tadinha da moça, você foi logo pensando que ela queria saliência... Por outro lado,se não tivesse pago este mico,certamente não existiria esta crônica deliciosa!Você é exemplo do quanto fundamental é o humor para se levar a vida! Saudades.
Comentar em resposta a Lilian Nabuco
Avatar
Paulo Bezerra comentou:
04/05/2012
Não é á-toa que “malhação” deriva do termo “malhar o Judas”. O corpo sofre mais do que Judas em sexta-feira santa. Daí, que prefiro os alongamentos solitários no meu banheiro, o caminhar do dia-a-dia e a natação nos fins de semana.
Comentar em resposta a Paulo Bezerra
Avatar
Lilian Nabuco comentou:
04/05/2012
Bessa, vai me desculpar mas dava quase tudo pra ver você fazendo o "sapinho" e cantando "eu-sou-feliz-porque-me- amo", envergonhado, cercado das velhinhas mandando ver! Mas cá entre nós, em matéria de mulher não leve mais tão a sério os conselhos do teu amigo mulherólogo: tadinha da moça, você foi logo pensando que ela queria saliência... Por outro lado, se não tivesse pago este mico, certamente não existiria esta crônica deliciosa! Você é exemplo do quanto fundamental é o humor para se levar a
Comentar em resposta a Lilian Nabuco
Avatar
melvin comentou:
03/05/2012
Show de bola! Ela te ''pegou'' legal rsrsrsr . Morri de rir com essa e duas outras mais antigas suas, uma, um dançarino banguela que deu um show que vc ficou morto de inveja e uma outra bem antiga onde um ''radialista'' viajou aos USA como ''tradutor'' de um certo cacique regional, todas , hilárias versões suas, parabéns!
Comentar em resposta a melvin
Avatar
Iracema Pedrosa comentou:
03/05/2012
Esta excelente crônica só pode ser de José Ribamar Bessa Freire. No mérito penso que todos devemos praticar a UNIBIÓTICA porque a saúde deve está em PRIMEIRO LUGAR. Mas, se não temos tempo, existem outras alternativias. Quem ficar interessado pode agendar uma aula experimental no telefone 8803 4164. Falar com Valéria.
Comentar em resposta a Iracema Pedrosa
Avatar
XBzuodhaGqoYgh comentou:
08/06/2012
Atre1s do homem de preto ele ia.Tendo iniciado a jaornda,O pistoleiro, que lhe seguiriaRumando e0 Torre, tal estradaRubro roseiral que se estenderiaEsticado, e0 futura chegada.Nesse meio tempo, passouEm nosso mundo e, bem aqui,Grandiosamente veio e criou,Resplandecente lugar, eu vi,A Corporae7e3o Tet qu’ele fundou.Homens, le1, uniram-se com um objetivo:Quebrar a Sombra, salvar a rosa do perigo.O trabalho e1rduo se estendeuBem e0 frente do Ka-tet, unidoJunto ao dinh que os escolheu.E assim foi criado novo mito:Tet, a corporae7e3o que resolveuInteligentemente o que o livroVeementemente escondeu:A Torre: o centro do infinito.Sensivelmente eles analisaramToda a obra do rei. Encontraram,E assim, com todas as ligae7f5esPossedveis, elos e conexf5es,Hora era “Insf4nia”, outroraEra “A Hora do Vampiro”.Nos livros estava o mito.Ka e9 a roda do nosso destino.Isso e9 fato que agora lhos conto.Ne3o duvidem, he1 um sentidoGrandioso em todo esse confronto.Nota: Lendo as primeiras letras de cada verso temos: A Torre Negra HQ, Objetiva, Stephen King. ;D Contato de XBzuodhaGqoYgh
Comentar em resposta a XBzuodhaGqoYgh
Avatar
Ronilson Braga comentou:
03/05/2012
hahahaha Excelente trabalho. Vi claramente o que aprendi recentemente: "pagar o mico!" hahahahah És, pois, muito talentoso!
Comentar em resposta a Ronilson Braga
Avatar
Ana Stanislaw comentou:
02/05/2012
Maravilhooooosaaa!!! Muito divertida!!!! Estou rindo até agora. Bjos!
Comentar em resposta a Ana Stanislaw
Avatar
Yonne comentou:
02/05/2012
Muito boaaaa! Tô rindo até agora. Bom saber o que é tal de unibiótica... já pensou se ela pinta por aqui? Taquipraela, óóó! kkkkk Beijos!
Comentar em resposta a Yonne
Avatar
Sandra Lima comentou:
02/05/2012
Você é demais!!! Vivendo e aprendendo....
Comentar em resposta a Sandra Lima
Avatar
Roque S. de Souza comentou:
02/05/2012
Essa crônica é por demais porreta. As cidades praieiras, ou não, estão regadas dessa(e)s personagens que nos atropelam, qualquer hora do dia ou da noite, sem menos ou sem mais, para exercitarem suas peraltices. Precisamos ficar de olhos, nariz e ouvidos abertos. A teoria do Mestre Moa saiu escorregando entre as pernas, braços, boca, olhos, nariz, cabelos e cânticos da instrutora de unibiótica daTerceira Idade.
Comentar em resposta a Roque S. de Souza
Avatar
Jô Freitas comentou:
02/05/2012
Há algum tempo recebi um e-mail com o título"Um cinquentão na academia", e ao ler esta sua crônica foi de que me lembrei. Esta Unibiotica é tão oumais hilarinte que ela. Adorei. Ri tanto que cheguei a chorar. Que venha mais Taqui Pra Ti, vai ser sempre uma satisfação recebe-la. Muito obrigada por me dá este momento de descontração. Tenha uma boa tarde. Jô Freitas.
Comentar em resposta a Jô Freitas
Avatar
ckqgEZBq comentou:
08/06/2012
Isa, realmente, no inedcio de minha jrdanoa Bloguedstica cometi alguns destes pecados e hoje sou uma pessoa redimida em nome do deus de todo conhecimento, o google. ehehehhe.Principalmente em relae7e3o a esses selinhos, se bem que nem sei se ainda utilizam, nunca mais vi e nem recebi. Houve um tempo em que toda semana era um selo novo.A maturidade como escritor e blogueir faz com que ne3o nos limitemos a isso, mas a qualidade de nossos blogs.Bom post, me fez colocar em alerta novamente.Paz e bem
Comentar em resposta a ckqgEZBq
Avatar
Midian comentou:
02/05/2012
Estou me contorcendo de tanto rir!! Demais mestre... mais uma lição, e que lição!!!! rsss
Comentar em resposta a Midian
Avatar
Alexandre Gomes comentou:
02/05/2012
Hay que enducerse pero sy perder lá ternura jamás! Grande abraço! Estaremos no RJ em julho, espero vê-lo por aí!
Comentar em resposta a Alexandre Gomes
Avatar
celeste comentou:
02/05/2012
Muito boa!!! Morri de rir!! Fica atento para esses convites,pois eu já vi um similar com as musiquinha "passarinho quer dançar, o rabicho balançar...do Gugu Liberato.rs.. Aí,sim, Se tivesse um fotógrafo a serviço dos teus adversários, ele lavava a égua! "
Comentar em resposta a celeste
Avatar
aOyeiHYzCfb comentou:
08/06/2012
A primeira dica talevz ne3o tenha feito muito jus. Ente3o aed vai outra dica!- c9 um jogo do tipo Sonic - Te3o re1pido quanto Sonic mas sf3 saiu para PC!- E podemos dizer que e9 um Sonic feito exclusivamente para o PC!E agora, ficou fe1cil? Vamos le1, tente desvendar a resposta do chiptune do Game Quiz #16. Vocea vai conseguir!!
Comentar em resposta a aOyeiHYzCfb
Avatar
Maria do Carmo R. Abreu (portalrogerioferreira) comentou:
01/05/2012
Neste fim de mês, quando o tempo nos desgasta com contas a pagar, declaração de imposto de renda, balanços, dívidas, angústias... o Ribamar em "Unibiótica, Nunca Mais!" transmutou tudo isso em tempo de riso, de risadas, de gargalhadas. (Minha Filha veio saber de que eu ria tanto, e se deixou levar embalar pelo causo, nem podíamos olhar uma para outra....) Parabéns pela arte de fazer humor com a simplicidade do cotidiano! Que venha maio com muito mais graça e criatividade.
Comentar em resposta a Maria do Carmo R. Abreu (portalrogerioferreira)
Avatar
Jandir Ipiranga Júnior comentou:
01/05/2012
O pessoal aqui em casa está querendo saber que galhofa é essa que eu estou fazendo aqui na sala, rindo sem parar. Tive que me controlar, só por um instante, para explicar que estou lendo a crônica do Prof. Bessa. Quantos senões e quantas teorias sobre o gênero feminino levaram o Professor para esta cilada. hahahaha
Comentar em resposta a Jandir Ipiranga Júnior
Avatar
Meire Botelho comentou:
01/05/2012
Fiquei imaginando a cena, hilária. Pensei na Céu e no Pão Molhado fazendo unibiotica na nossa Ponta Negra. Adoro a Familia Bessa Freire. Essa tua crônica me fez rir muito!
Comentar em resposta a Meire Botelho
Avatar
Andrea Sales comentou:
30/04/2012
Parabéns Mauro Bessa Freire!Isso serve para repensar a aceitação dos convites unibióticos que surgirem.E já que se refere à postura científico filosófica da Medicina é algo que deve deixar os ossos moídos mesmo!Abraços (sem unibiótica) e até mais.
Comentar em resposta a Andrea Sales
Avatar
Daniela comentou:
29/04/2012
Quase me acabei de rir... Obrigada José Bessa! Aliás, Mauro! Sempre apoteótico e extraordinário... Amei... vou tentar o sapinho, quem sabe a barriguinha vai embora..
Comentar em resposta a Daniela
Avatar
Silvia Brasil comentou:
29/04/2012
Vc é perfeito, adoro ler sua crônicas, ri muuuuuuito, até lagrimar, obrigado!.
Comentar em resposta a Silvia Brasil
Avatar
Tarcisio Lage comentou:
29/04/2012
E eu que estou fazendo pilatis com dez mulheres, incluindo a minha...
Comentar em resposta a Tarcisio Lage
Avatar
WAnyRvHtB comentou:
08/06/2012
foi por posts assim que comecei a sgiuer seu blog. o meu e9 poledtico e tendencioso, pois defendo um lado e ataco outro, e ne3o nego. mas pode ficar na boa que ne3o vou pedir pra comentar no meu. PS. ter que apagar comente1rios por respeito aos outros leitores e9 realmente desagrade1vel.abrae7o.
Comentar em resposta a WAnyRvHtB
Avatar
VÀNIA NOVOA TADROS comentou:
29/04/2012
BABÁ, QUASE MORRO DE RIR. LI DUAS VEZES IMAGINANDO AS CENAS. GANHOU A ÚLTIMA DA DANÇA DE RODA CANTANDO "EU SOU FELIZ PORQUE ME AMO" QUE COMPETIU EMPARELHADA COM A DO SAPINHO, ISSO É QUE É CRÔNICA DE DOMINGO.
Comentar em resposta a VÀNIA NOVOA TADROS
Avatar
Rose comentou:
29/04/2012
Babá, és uma figura. Te amo, rrss.
Comentar em resposta a Rose
Avatar
ppwJzOLGT comentou:
08/06/2012
Acharia minha porta que me levaria ate meu Ka-tet. Seguirimos ente3o pelo Feixo de luz atendrssaavo diversos mundo, de Oz ao Kasas, pegando carona em Blane e usando sapatos de rubi, indo atras do homem de preto que vagava pelo deserto.Mas apesar de querer mais que tudo encontrar a torre negra, jamas deixaria meu Ka-tet!
Comentar em resposta a ppwJzOLGT