CRÔNICAS

ADAIL, MANINHO, EU TE ENTENDO!

Em: 15 de Junho de 2008
Tags:
Visualizações: 2930

.

Saudações!

Acontece o seguinte: o Careca emitiu notas fiscais falsas para uma firma de prestação de serviços, simulando pagamento feito a uma de suas empresas, a SMP&B Comunicação. O juiz ouviu – ELE OUVIU - testemunhas que confirmaram os pagamentos e viu – ELE VIU - a prova do crime de falsidade ideológica: as notas fiscais.  Não podia deixar de punir o criminoso. Condenou, então, o Careca a pagar multa de... – olhem só! - dois salários mínimos e... a prestar serviços comunitários. Quá-qua-ra-quá-quá! Quem vai permitir que o Careca ou Adail tomem conta de seus filhos numa creche comunitária?

O Careca vai ficar pobre: dois salários mínimos por meter a mão em bufunfa federal!!! E na bufunfa municipal, Adail, qual é a multa? Dez centavos? Um bandido que assalta um banco ou uma pessoa pode morrer ou ser preso. Mas quem rouba cofre público não corre qualquer risco. O ex-governador Amazonino, que entende do riscado, declarou: “no Amazonas se compra juízes, desembargadores e procuradores”. O juiz que dá uma sentença dessas está parindo Adails. Até o Ferraço saiu lépido e fagueiro em ‘Duas Caras’ e ainda papou a Maria Paula. A Silvia Aline de Moraes, depois de toda a bandidagem cometida, foi viver em Paris. O crime, então, compensa?   

Por falar em compensa, o que vem acontecendo no Palácio do Governo do Estado do Amazonas, que fica no bairro da Compensa, é mais um motivo para Adail continuar fazendo suas estripulias, segundo o senador Arthur Virgilio Neto (PSDB), cujos artigos contundentes só agora eu li, porque nem o Diário, nem minhas nove irmãs, nem meus 38 sobrinhos me mandaram cópias.  

As viagens do Eduardo são turnês de marajá e de sultão. Em suas andanças, leva esposa, filho, sobrinho, secretário, massagista particular – o Paulo Roberto – gato, cachorro, periquito e papagaio. Em Tókio, a comitiva ficou hospedada no Hotel Imperial, que é um palácio. O Dudu não deixou por menos: suíte imperial, cuja diária – segundo Arthur - é de R$ 17.210,77. Com dinheiro público – ou seja, o meu, o seu, o nosso – ele paga por um dia de hotel aquilo que muito trabalhador amazonense não ganha em três anos.

As investigações sobre aquilo que Arthur está chamando de “delinqüência pública” não avançaram até agora, porque a bancada do governador Eduardo Braga na Assembléia Legislativa vinha bloqueando a criação de uma CPI. Eles blindaram Adail e o governador, uma manobra do presidente da Assembléia – o Big Beautiful - aliado com uma ala do PT – que vergonha! - e até – meu Deus do céu! – com o PCdoB. A CPI só acabou saindo porque – vejam só! – Amazonino articulou os deputados sob sua influência a se pronunciarem a favor.

A impunidade do governador tem servido de exemplo e modelo, uma vez que a única punição que ele sofreu foi uma dor de consciência, que o persegue noite e dia, por haver matado as esperanças do povo amazonense. Mas a consciência do Dudu – todo mundo sabe – reside no seu estômago, traduzindo-se, portanto, em “fortes e freqüentes dores estomacais” que ele vem sentindo ultimamente – segundo informa Arthur Neto.  

A questão, porém, não termina ai. Arthur Neto escreveu com todas as letras: “Ninguém se iluda. O episódio de Coari não se resume a Adail Pinheiro. Se as investigações prosseguirem, os fatos demonstrarão que Eduardo Braga é o chefe de Adail Pinheiro”. Foi por isso que o Dudu mandou sua bancada na Assembléia votar contra a CPI. para investigar o Adail.

 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário