CRÔNICAS

O "Engraçadinho"de Carauari

Em: 30 de Maio de 1995 Visualizações: 709
O "Engraçadinho"de Carauari

Qual ator vocês escolheriam para viver o papel principal na próxima minissérie da Rede Globo – “O Engraçadinho de Carauari, seus amores, seus pecados”? Como, amigo leitor, você não sabe quem é essa figura? Então, me permitam que eu apresente um aos outros:

- Luizão, esses aqui são os raros mais fiéis leitoras e leitores da coluna ‘Taquiprati’, editada em Manaus. Cuidado, são gozadores, gostam de rir.

- Leitoras e leitores, esse daqui é Luiz Carlos Gomes Moreira, o Engraçadinho de Carauari. Cuidado! Ele também é um gozador no sentido literal do termo. Conhecido como Don Juan do rio Juruá, exerce o cargo de secretário municipal de Administração da Prefeitura de Carauari, quando lhe sobre tempo de suas atividades de conquistador.

O Luizão se acha lindo-lindo, o próprio “Beautiful”, embora tenha o perfil shakespeariano do Pérsio Arida, presidente do Banco Central, que tem, como todo mundo sabe, cara de espermatozoide cansado. Ele começou a dar em cima da Fafá, a Maria de Fátima Vieira, 28 anos, professora e funcionária da Prefeitura de Carauari.

Outro dia, o Engraçadinho exigiu de Fafá que fizesse horas extras. Quando ficaram os dois sozinhos, ele baixou a sobrancelha direita e levantou a esquerda, exatamente como o Victor Mature no filme “O Manto de Cristo” e disse sem-vergonhamente:

- Dá uma beijinho aqui na boquinha do papai, dá. Dá que eu te dou uma função gratificada.

A Fafá não deu. Entre outras razões, porque o Luizão tem mau hálito e uma tosse de cachorro, seca, retumbante, que soa como um latido reprimido. Parece ronco de guariba preto. É uma tosse tão antiga que seus pulmões guardam ainda nicotina do finado cigarro “Astória” sem filtro, aquele do maço amarelinho. Ou do “Continental”, tanto faz.

Don Juan de igarapé

Olha aqui, leitor (a), antes de mais nada é preciso que fique bem claro o seguinte: somos a favor do sexo horal – aquele que se faz de hora em hora – e nada temos contra o sexo semanal, mensal e até mesmo anal, feito de ano em ano. O amor é lindo, o sexo maravilhoso, quando as duas partes querem. Quando uma não topa e a outra tenta forçar a barra, é horrível. Torna-se altamente condenável quando se tenta usar o cargo ou o poder para obrigar uma subordinada a submeter-se, constrangida, ao assédio sexual.

Foi o que aconteceu. Segundo Fafá, quando Luizão viu rejeitadas as suas propostas indecorosas, passou a persegui-la com “piadinhas libidinosas”. A Fafá resistiu. Formalizou denúncia pública no cartório do município contra o Engraçadinho de Carauari, que dessa forma se torna o primeiro réu do interior da Amazônia em crime que é conhecido nos Estados Unidos como “sexual harassment”. Lá, dá cadeia. Aqui, no máximo, dá uma crônica indignada.

Essa não é a primeira denúncia contra o Don Juan do Juruá. Em janeiro do ano passado, havia uma solicitação de abertura de inquérito policial na Delegacia de Carauari por assédio sexual a uma ex-funcionária da Prefeitura. Ela acabou retirando a queixa por motivos que se ignora.

A versão do “Engraçadinho” publicada aqui no jornal A Crítica na semana passada é a de que “Maria de Fátima foi punida administrativamente porque agia de maneira indisciplinada, sem querer acatar odens superiores”.

Ei, Luizão, tu és leso ou devoto de Santa Etelvina? Ou pensa que nós somos os lesos? Como é que uma funcionária pode obedecer ordens de beijar um chefe, ainda por cima com mau hálito e catarro milenar? Te manca, Lulu!

Agora, o Engraçadinho de Carauari nomeou uma comissão destinada a abrir inquérito administrativo contra a Fafá e ainda argumenta, para intimidá-la, que vai pedir indenização por “danos morais”. Quanto cinismo! Esse Engraçadinho não merece a palavra “amores” no título da minissérie. Um recadinho para ele:

- Escuta aqui, Don Juan de igarapé, não te conheço, nem a Fafá. Mas tenho nove irmãs e teu comportamento me agride. Vamos comprar essa briga. Vai fundo, Fafá. Estamos solidários.

Tia Ceiça

E por falar em briga, a vereadora Conceição Tribulins não gostou das críticas ao seu projeto de vestibular para os alunos da rede municipal, com exames de fezes, urina e sangue. Numa nota intitulada: “Vereadora desafia articulista de A Crítica”, ela me acusa de “denegrir a imagem humana dos administradores públicos” e me desafiou para “um debate de ideias”.

Topo. Mas topo mesmo. Pode marcar dia, hora, mês, local e as armas que serão usadas. Jamais perderemos uma oportunidade dessa. Sugiro como arena a Faculdade de Educação da UFAM pela natureza do projeto. Pode ser no final de junho, com a mediação do presidente da OAB-Am.

A Tia Ceiça propõe um debate de ideias, mas com todo respeito não sei exatamente o que ela entende por “ideias”. Suspeito que ela está confundindo o conceito com outra coisa, com o conteúdo do exame do seu próprio vestibular, porque em sua nota ela diz que com o exame de fezes “os estudantes poderão desenvolver melhor o seu potencial intelecto”(sic), aconselhando-me, inclusive, a fazer um exame parasitológico para melhorar as ideias”. Eu, hein, Rosa! Para ela, as ideias não saem da cabeça, mas de outro lugar mais curioso. Por via das dúvidas, por dúvidas das vias, vou me prevenir enchendo uma latinha com idealhão para ir ao debate. Será que ela vai jogar as “ideias”dela na minha cara? Neste caso, farei eu também uso do meu idealhão.

Ora, ora dona Conceição Lins, por serdes vós quem sois! Vá fazer como a atriz Sônia Braga: vista o uniforme laranja de gari da Coumlurb e comece a varrer as ruas de Manaus, recolhendo o lixo – esse sim responsável em grande parte pelas tuxinas, helmintos, vermes e lombrigas de nossas crianças. Vá trabalhar, Conceição!.

P.S. 1 – Há dois anos, Silvio Márcio Freire de Alencar, que tem deficiência auditiva, fez concurso para assistente administrativo da Universidade do Amazonas. Para estimular outros deficientes auditivos, transcrevo aqui o parecer conclusivo do relatório de avaliação de Estágio Probatório assinado pela diretora executiva Iara C. Pereira Gonçalves:

“Somos de parecer totalmente favorável à efetivação do servidor. Este é o primeiro caso de contratação para a UA de um servidor com deficiência física. Asseguramos que foi com sucesso. A Instituição ganha um excelente funcionário com grande potencial a ser desenvolvido”.

P.S. 2 – Atenção, Ministério Público do amazonas. Recebi documentos enviados por Pedro Paz. Uma bomba. Aguardem.

P.S. 3 – Alô, alô dona Maria Edina do Conjunto BEA/ICA. Estamos com saudades. Como é que é? A senhora vem ou não vem?A sua filha, Rose Ondina, tá com uma tose de guariba-preto, na qual me inspirei para descrever com mais realismo a bronquite do Engraçadinho.  

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário