CRÔNICAS

O Urubu, a Carniça e a Merenda

Em: 03 de Novembro de 1995 Visualizações: 887
O Urubu, a Carniça e a Merenda

.- Aqui, o dinheiro público é como carniça. Os urubus estão sempre querendo arrancar um pedaço.

Desta forma, o governador de Rondônia Valdir Raupp de Matos (MDB vixe vixe) resumiu para a revista Veja desta semana as falcatruas realizadas no seu próprio governo com recursos federais e estaduais.

No caso concreto, a carniça era o frango destinado à merenda escolar de milhares de alunos de Rondônia. Pelo preço de mercado, o custo real da compra efetivamente chegaria, no máximo, em torno de R$ 900 mil. Como foi superfaturado, acabou saindo por R$ 1.5 milhão. Ou seja, algum urubu abocanhou um naco de carniça no valor de R$ 600 mil.

O urubu-rei parece ter sido o próprio secretário de educação, Domênico Laurito, em associação com a representante do Fundo de Amparo ao Estudante (FAE), em Porto Velho, Evânia Machado da Silva. A dupla sertaneja Laurito & Evânia comprou o frango mais caro do Brasil, sem licitação.

O escândalo pipocou nos principais jornais do país. Pressionado pela imprensa, o governador acabou demitindo doze funcionários suspeitos de terem participado direta ou indiretamente da trambicagem, incluindo o próprio secretário. A questão foi entregue à Justiça, mas como esclarece o jornalista Arnaldo Cesar, de Porto Velho, “ninguém aposta uma asa de frango na punição dos culpados ou na devolução do dinheiro”.

Existem algumas semelhanças e algumas diferenças com o ocorrido no Amazonas onde, há dois meses, um deputado federal denunciou o desvio de duas mil toneladas de merenda escolar no valor de R$ 6 milhões, afiançando o envolvimento do secretário de educação José Melo e do próprio governador com “uma quadrilha, um grupo que se locupletou com o dinheiro público”. Ficou por isso mesmo.

O deputado Luís Fernando Nicolau (PMDB vixe vixe), ex-secretário de Saúde no governo de Amazonino Mendes (1987-1990) insiste que tem “documentos, notas de empenho e notas fiscais para comprovar que a alimentação escolar de minha terra foi desviada”. Esses documentos até hoje não foram requeridos pelo Poder Judiciário, o caso não teve repercussão nacional e nada aconteceu. Absolutamente nada! Sequer um esclarecimento foi prestado à opinião pública. Em Rondônia, a corrupção deu, pelo menos, em demissão.

O governador Valdir Raupp, segundo informações do citado jornalista, “acha que seu grande negócio é construir e pavimentar estradas. Ele sonha deixar o Governo com 2.000 quilômetros de estradas pavimentadas. Um de seus primeiros atos como governador foi determinar o pagamento de R$ 5.4 milhões às empreiteira que trabalhar para o DER local na época em que ele dirigiu o departamento.

Qualquer semelhança com pessoas e fatos da vida real de outros estado da Amazônia não é mera coincidência.

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário