CRÔNICAS

O BURACO DO BECO DA BOSTA

Em: 31 de Agosto de 1990 Visualizações: 5882
O BURACO DO BECO DA BOSTA
Manaus, 8 de agosto de 1990.
Querido filho,
Recebi tua cartinha e não respondi antes porque essa gripe maluca me deixou acamada, com quatro problemas: o buraco do beco, o calor infernal, a Céu que se socou dentro de casa com as filhas e a Preta que, todo dia, por causa da greve dos professores, deixa as pestinhas delas para que eu tome conta. O Geraldinho é obediente, mas é danado, a Mana é desobediente, mas tranquila. Os dois estão cheirando merda. 
Meu filho, o buraco do beco aumentou e o esgoto continua entupido. A Teca disse que o prefeito e o vice são teus amigos. Eu me lembrei, filho, que nas eleições de 1978, quando disseram pra Dedé que os dois eram comunistas, você me jurou que o Felix Valois era do Apostolado da Oração e que o Arthur Neto tinha sido da Cruzadinha Infantil. Acreditei em você e por isso votei neles. Agora, por que você não fala com eles pra consertar o esgoto do nosso beco? Todos os dias rezo por você. As saudades da tua mãe, que te abençoa.
Elisa.
-x-x-x-x-x-x-x-
Rio de Janeiro, 9 de agosto de 1990
Querida mãe,
O médico já viu a senhora? Não brinque com doença. Procure o Marcus ou o Joaquim. Espero que a Preta, a Céu e o calor tenham desaparecido de sua casa. Quanto ao buraco do beco: a Teca diz as coisas sem pensar, mãe. Estou preocupado com o esgoto, mas essas coisas não devem ser resolvidas assim, como troca de favores. É uma questão política, pública, e não de amizade, particular. A senhora paga impostos e tem o direito de exigir. Exerça a sua cidadania, mãe, senão a gente nunca vai consertar o Amazonas e o Brasil. Por que a senhora não cria uma "Associação dos Amigos do Beco da Bosta" para pressionar a prefeitura? Olhe só, a sigla fica bonitinha: AABB, igual a dos funcionários do Banco do Brasil. Fale com a Leonor, o Armindo, o Agmar, a Luzia, a dona Geraldina. Essa é uma ação política.
Um beijão saudoso do filho que te ama.
Babá.
-x-x-x-x-x-x-
Manaus, 10 de agosto de 1990
Filho querido,
Melhorei de saúde com um xarope de "amor crescido" que eu mesmo fiz. Depois, só porque você insistiu, procurei o doutor Joaquim Melo. Ele disse que eu fiz bem, que o alecrim-de-são-josé é o melhor remédio. Confio muito no doutor Joaquim.
Continuo me lembrando de você em minhas orações e também da doutora Beth, que é honesta e valente. Ontem, na missa, durante a Oração dos Fiéis, eu pedi: "para que a Beth continue candidata, oremos ao Senhor". E todo mundo, inclusive o Marcelo Magaldi, que estava na igreja com a Cleísa:
- "Oh Senhor, escutai as nossas preces". 
Meu filho, você não me entendeu. Eu não quero consertar o Amazonas e o Brasil. Quero uma coisa simples: consertar o esgoto do beco. Isto não é uma questão pública, é privada mesmo, basta sentir a fedentina. Será que é pedir demais? Se eu quisesse fundar a AABB, não escrevia prá você. Tudo bem, não quer pedir favor do teu amigo prefeito, então eu falo com o meu amigo Umbertinho, pra ele mandar o Jerson Aranha, da "Cidade Aflita", tirar uma foto do buraco. Se A CRÍTICA publicar na primeira página e espinafrar a Prefeitura, quero só ver se eles não consertam o esgoto no dia seguinte! Um beijo da tua mãe saudosa.
Elisa
-x-x-x-x-x-x-x-
 
Rio, 11 de agosto de 1990
Mãe querida,
Pelo amor de Deus, não dê vexame, não vá perturbar o Calderaro por causa de um simples buraco. Mãe, siga o exemplo do comandante Eron Bezerra: pense dialeticamente, em bloco. Com greves por todos os lados, demissões no Distrito Industrial, propaganda do Boto na TV e a senhora, em vez de ver o bosque, só fica enxergando a árvore? Que decepção! Insisto: se a senhora fundar a AABB, resolve o problema do esgoto, organiza a população, impulsiona os movimentos sociais, seguindo a orientação da CNBB e de Dom Moacir Greck.
A Preta já arrumou empregada? Quando rezar pela Beth, dê o sobrenome dela, para não confundir o Senhor. Existem muitas Beths, mas Azize, só uma. A Beth Suely pode ser beneficiada com suas orações e isso não é bom. Beijos do seu,
Babá.
-x-x-x-x-x-x-
Manaus, 12 de agosto
Querido filho,
A Dandãe telefonou, elogiando os teus artigos sobre "nomes feios". A Preta, que todo dia enche minha casa de netos e esvazia minha garrafa térmica de café, disse que uma colega dela lá do IEA também gostou. Mas eu gostei de ler mais os primeiros, porque nos dois últimos você não tocou nenhuma vez no meu nome.
Não seja tolo, filho, conheço o Umbertinho antes de você nascer. Você quer consertar o mundo e não consegue tapar um buraco. Você vê o bosque e não consegue enxergar uma árvore. Está bem, já encontrei uma solução. Ontem, ia saindo da missa e a Leonor perguntou por ti. Eu disse pra ela que você ia escrever uma crônica, avacalhando com o Secretário Municipal de Obras. Não é uma boa ideia? Assim ele conserta o esgoto do beco rapidamente. Quem é esse tal de comandante Eron? Hoje, rezei 833 jaculatórias pra Deus te proteger e não deixar cometer injustiça contra a Beth Azize. Por que não querem deixar que ela se candidate? Tua mãe saudosa, que nunca te esquece.
Elisa.
-x-x-x-x-x-x-x-x-
 
Rio, 13 de agosto
Mãezinha querida,
Não falei no seu nome, porque as duas crônicas anteriores tratavam de nomes feios e o seu é um nome bonito.
Desculpe, mas não vou avacalhar com o Secretário de Obras, o Orlando Holanda, que é amigo do Euclides. Esse não é o caminho correto, mãe. A senhora está com sérios desvios ideológicos, atribuindo um poder que as palavras não têm. O Verbo só se faz carne no Evangelho; na crônica e no jornal não vale nada, como já assinalou Nicos Poulantzas no seu livro "Poder Político e Classes Sociais", confirmando, aliás, o que Marx já havia  dito no "Dezoito de Brumário", o que foi reforçado por Michel Foucault em "Vigiar e Punir", quando chama a atenção para a sanção normalizadora e a vigilância hierárquica. 
Por que a senhora não tenta fundar a AABB, junto com a Leonor e a Dandãe? Lembranças pra elas duas.
Beijos mil do seu filho querido.
Babá
-x-x-x-x-x-x-x-
Manaus, 14 de agosto
Meu filho, se você voltar a falar nessa maldita AABB, eu não te escrevo mais. Olhe só: primeiro, pedi pra você apelar para a amizade com o prefeito. "Mãe, esse não é o caminho". Depois, para esculhambar o prefeito: também não é. Qual é o caminho? Afinal, que adianta ter um filho jornalista se isso não serve nem pra tapar um buraco de bosta? O Jefferson Coronel, pelo menos, conseguiu tapar os buracos da Adelaide. Não quero mais que você se preocupe com isso. A Leonor vai falar com uns políticos aí, o Amazonino, o Atila Lins e o Euler e eles vão resolver o problema do esgoto. Parece que eles entendem da matéria.
Meu filho, o beco amanheceu triste: morreu a Marta do Zecafonso. Ontem., fui comprar verdura e a Leonor me deu uma penca de banana: "É pra mandar pro Babá no Rio, dona Elisa", ela me disse. A Preta passou por aqui, disse que no Rio tem muita banana e comeu metade da penca, amassada com farinha e leite. O Geraldão comeu a outra metade. Se a Leonor um dia te perguntar, confirma que estavam gostosas. Estavam mesmo. Da tua mãe saudosa, que começa a querer te esquecer em suas orações.
Elisa.
-x-x-x-x-x-x-x-
Rio, 15 de agosto
Mãezinha,
Ontem, tive um pesadelo. Sonhei que o Públio Caio e o Tatu, o filho do Tuta, caíam dentro do buraco do beco, empurrados pelo Carrel Benevides, que dava uma risada mefistofélica, enquanto a Rosilene e a Stella ladrona choravam copiosamente. Acordei e não consegui mais dormir.
Diga pra Leonor, que eu agradeço as bananas, mas que não adianta falar com políticos safados, porque eles estão preocupados em tapar outro buraco - um rombão, mãe - bilhões de vezes maior que o do nosso beco. A senhora não leu os jornais?
Tudo bem, já que não posso mais falar naquilo, então por que a senhora não cria a COMO-BEBO, ou seja, a Comissão dos Moradores do Beco da Bosta?
Beijão do seu filho.
Babá.
P.S - Amanhã é o aniversário da Consuelo, mas nem a mãe dela sabe quantos anos ela faz. É segredo de Estado.
-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-
Manaus, 16 de agosto
Ilmo. Sr. Jornalista José Ribamar Bessa Freire
Leio jornais sim. Aliás, lia as suas crônicas quando elas prestavam, mas agora parece que elas não valem nada. Cinco crônicas seguidas e sequer uma palavra sobre o buraco do beco. Francamente, José,quanta decepção! Eu esperava uma atitude diferente de você, meu filho. Um pouco mais de atenção com sua mãe. Bem que o saudoso padre Adonias já alertava: "A gente cria os filhos para nada".
A Preta disse que vai falar com a senadora Marlene Pardo e com o Ricardo Moraes pra eles fazerem um projeto para tapar o buraco do Beco. Eu vou falar com a Vânia da Faculdade. Não quero mais ouvir falar desse história. Não espere mais cartas de sua mãe, que mudou de intenções em suas orações. Agora, só rezo pela Beth Azize.
Elisa.
-x-x-x--x-x-x-x-x-
Rio de Janeiro, 17 de agosto
Ilmo. Sr. Secretario Municipal de Obras,
Orlando Holanda,
Sr. Secretário,
Como é do conhecimento de V. Sª. o ex-prefeito biônico de Manaus, sr. Amazonino Mendes, arrebentou o esgoto da Rua Carolina Neves, também conhecida popularmente como Beco da Bosta II. Depois, o sucessor, Manoel Ribeiro, foi lá e abriu uma enorme cratera, que lá está desde então, na confluência com a Xavier de Mendonça, exalando fétido odor. O sr. Mestrinho não ampliou o rombo, porque perdeu as eleições.
A AABB - Associação dos Amigos do Beco da Bosta, recém fundada, que aglutina os ilustres moradores daquela artéria, solicita de V.Sª. que ordene os urgentes reparos que se fazem necessários para evitar que uma de nossas associadas, mais exaltada, bote um ventilador e espalhe a matéria prima do beco por toda Manaus. Ela é capaz disso. Estou avisando. Certos de sermos atendidos,
Atenciosamente
José R. B. Freire, presidente de honra da AABB
PS. 1 - Orlando, maninho. O negócio é sério. Não estou brincando. Tem um buraco de onde sai bosta por todo lado. Pelo amor de Deus, tapa o buraco do Beco da Bosta, senão vou ficar doido e amaldiçoado. Praga de Mãe é coisa forte, mano velho.
P.S.2 - (adicionado em 2014) - - Beco da Bosta é nome genérico das vielas do Bairro de Aparecida, ex-Bairro dos Tocos. Nasci em um deles, em 1947, ao lado da casa dos Três Leões. Esse é o Beco da Bosta  propriamente dito, conhecido oficialmente durante muitos anos como Beco da Indústria, depois elevado à categoria de Rua Comendador J.G. Araújo. A continuidade dele, quando cruzamos a Rua Xavier de Mendonça  é outro beco mais estreito com o nome pomposo de Rua Carolina das Neves, hoje Rua Elisa Bessa Freire, uma homenagem a quem ajudou a tapar os seus buracos.
 
P.S. A bela foto do beco, já publicada em outras cronicas e aqui reproduzida, é do jornalista Gerson Severo Dantas
 

 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

8 Comentário(s)

Avatar
Marcio Maquiné comentou:
05/11/2017
Aí Professor até que enfim o senhor liberou para os meros mortais comentarem hein? Concordo com a sua genitora que o bom jornalismo sirva a mostrar os buracos e o odor de bosta que os políticos fazem ou se omitem a resolver quando é assim tem que jogar a mercadoria no ventilador mesmo!
Comentar em resposta a Marcio Maquiné
Avatar
Eduardp Antonio Braga Reis comentou:
04/11/2017
Simplesmente espetacular.De uma sutileza e de uma riqueza de um coloquio genuíno e legitimo..Parabéns.
Comentar em resposta a Eduardp Antonio Braga Reis
Avatar
Gerson Severo comentou:
26/10/2016
Boa parte da formação de uma camarada do século passado era feita pela leitura cotidiana de jornais, era um hábito cedo pegá-lo pra saber das últimas. Dizem que isso vai acabar, não sei, to trabalhando duro pra que nunca aconteça. Pois bem, na virada dos 80 pros 90, nos jornais não havia nada de mais importante que a coluna Taquiprati, do José Bessa, jornalista e professor da Ufam, hoje em Niterói (RJ). Era leitor fiel. Pois hoje ele me homenageia (simbolicamente) ao pegar uma foto do meu álbum (com a magrela Gigante Vermelha) sobre o bairro de Aparecida para ilustrar uma das crônicas do Taquiprati, uma das que li lá atrás. Valeu professor! Orgulho mode on!!! Putz! falei igual ao Berinho vixe vixe vixe
Comentar em resposta a Gerson Severo
Avatar
Eláisa comentou:
02/11/2014
Avatar
01/11/2014
Muito boa. A maneira como o autor dessa crônica escreve. Me faz lembrar os grandes sábios. Que admiro como a "Bosta", que na minha infância era cocô. Hoje.Essa pessoa extremamente inteligente. Contato de Cristina Bessa de Memdonça
Comentar em resposta a Cristina Bessa de Memdonça
Avatar
Tania Bessa comentou:
26/10/2014
Se você naquela época seguisse os caminhos de Jesus , não teria exitado em atender o pedido da mãe , logo na primeira carta. Mãe não complica e também não é política, apenas intercede , pois quer o bem estar do próximo. Brincadeiras à parte.... tenho certeza de que Dna Elisa está rindo à toa no céu.
Comentar em resposta a Tania Bessa
Avatar
Ana comentou:
26/10/2014
Avatar
Lene Bessa comentou:
09/07/2012