CRÔNICAS

MANAUS, PODER E MEMÓRIA

Em: 26 de Outubro de 2008
Tags:
Visualizações: 3323

 

 

Hoje, na eleição para prefeito de Manaus, refresque sua memória. “A luta do homem contra o poder – escreve o escritor tcheco Milan Kundera – é a luta da memória contra o esquecimento”. Se a memória perde e o esquecimento vence, o homem está ferrado diante do poder.
O jornalista Ivan Lessa assegura que “de quinze em quinze anos, o Brasil se esquece do que aconteceu nos últimos quinze anos”. Diante disso, o cronista L.F. Veríssimo manifestou sua preocupação com os escândalos políticos e financeiros que pipocam na mídia quase diariamente: “Chegamos àquele ponto - perigoso em qualquer civilização -  quando nada mais surpreende ou revolta”. 
Os indivíduos metidos em tais escândalos dão um tempo e às vezes desaparecem do cenário político por alguns anos. Depois, quando acreditam que todo mundo esqueceu, voltam para morder o queijo, confiando na amnésia coletiva. Às vezes, como no caso de Maluf, em São Paulo, o povo não esqueceu e bota na tarrasqueta.
O Departamento de Pesquisa do Taquiprati elaborou um teste para avaliar a memória do (e) leitor amazonense nos últimos anos. Confira aqui os seus conhecimentos sobre os desfalques que foram dados em seu bolso:
1. Um governador da região amazônica – acusado pelo senador Arthur Neto de chefiar um cleptogoverno – pagou indevidamente R$ 18 milhões a uma empresa por obras fantasmas.
a) Otomar Pinto;
b) Eduardo Braga;
c) José de Anchieta Jr.;
d) Ivo Cassol
2. A Assembléia Legislativa do Amazonas contratou 33 parentes de um deputado em cargos comissionados, pagando para eles anualmente cerca de de R$1,2 milhão.  Qual é o deputado?
a) José Lobo (PC do B);
b) Belão Lins (PMDB);
c) Wilson Lisboa (PC do B);
d) Nelson Azedo (PMDB)
3. Em setembro de 2006, o prefeito e o vice-prefeito de um município do Amazonas foram detidos com duas malas contendo R$ 210 mil.
a) McCain/Sarah Pahlin;
b) Adail Pinheiro/Rodrigo Alves;
c) Kassab/Alda
4. O crime do colarinho verde, em Manaus, na década de 1980, acabou revelando:
a) uma facada mortal no pescoço de um calango honesto;
b) guias falsificadas de exportação de toneladas de couve e alface;
c) um rombo de 117 milhões de dólares no âmbito da Suframa;
d) contrabando de esmeraldas em colarinhos de camisas exportadas;  
5. Quem era o superintendente da Suframa e quais os partidos políticos beneficiados com a “caixinha” na eleição de 1986 no Amazonas?
a) Delile Guerra – PDT e PT;
b) Aloísio Campelo – Arena MDB;
c) Roberto Cohen – PDS e PFL;
d) Cabo Pereira – PL e PTB
6. Nas eleições de 1986, as urnas de duas localidades apresentaram todos os votos para o mesmo candidato, escritos com a mesma letra. As urnas eram de:
a) Coari e Codajás;
b) Anori e Tefé;
c) Iranduba e Boa Vista do Ramos
7. Um senador envolvido em corrupção se beneficiou com incêndio criminoso em cartório de Manaus:
a) Gilberto Miranda;
b) Carlos Alberto De Carli;
c) E. Carreira;
d) A. Melo
8. A.N. da Silva Ltda., empresa registrada na Junta Comercial de Manaus, obteve liberação de câmbio fechado em 2 milhões de dólares, vendidos no mercado parelalelo. A.N. são iniciais de:
         a) Ambrósia Nunes, lavadeira do Nei, compadre do Dudu Braga;
         b) Antônia Nogueira, a Tonica, cozinheira de Gioto Santoro;
         c) Adail Não, referência ao prefeito de Coari;
         d) Assinado Negão.
  9. Nos contratos feitos entre a Servaz e a Secretaria Estadual de Transportes e Obras entre 1988 e 1993 houve superfaturamento. A obra mais polêmica foi:
a)    a urbanização do bairro Francisca Mendes
b)    a construção de escolas e hospitais;
c).     a montagem da rede de esgoto de Manaus;
d).     a colocação da estátua de Ajuricaba no Encontro das Águas.
10.   O Tribulins (TCM) aposentou deputados e pagava salários de marajás para suas respectivas mulheres, que nunca trabalharam. a)   J
     a) José Lins;
            b) Átila Lins; 
     c) Belão Lins;
            d) todas as alternativas
11.  Segundo denúncias do deputado Nicolau, duas mil toneladas de merenda escolar foram desviadas. Quem foi o responsável/durante qual governo:
         a) José Melo - Eduardo Ribeiro;
         b) José Melo - Gilberto Mestrinho;
         c) José Melo - Amazonino;
         d) José Melo - Eduardo Braga.
12  Um governador da região amazônica, envolvido em corrupção nos anos 1990, tinha vários CPFs:
         a) Orleir Camelli;
         b) Jader Barbalho;
         c) A.Mendes;
         d) Todos eles.
13.  Um deputado foi votado nove vezes pela mesma eleitora nas eleições de 1994:
         a) Omar Aziz;
         b) Joaquim Corado;
         c) Lupércio Ramos;
         d) Sinésio Campos
14. Vereadores ressarcidos deram um rombo nos cofres públicos, alegando gastos com despesas médicas.
a) Raimundo Furtado, o “boca de ouro”, gastou 37 mil dólares com dentista;
b) Robério Braga, 35 mil dólares com ginecologista;
c) César Bonfim, 38 mil dólares com um resfriado;
d) Todas as alternativas
15. “Por Collor, eu mato, eu morro”. A frase foi dita na Câmara de Deputados em Brasil por um parlamentar acusado na CPI do Orçamento de haver desviado 14 milhões de dólares:
         a) Roberto Jefferson;
         b) Ézio Ferreira;
         c) A.Mercadante;
         d) José Genuíno.
Avaliação final: acertou as 15 perguntas? Parabéns. Se todos fossem iguais a você, a memória derrotaria o poder. De 9 a 14 perguntas certas, você tem possibilidades de votar corretamente na eleição de hoje, mas tome cuidado. De 4 a 8 respostas corretas, não se queixe, você é responsável pela reeleição de corruptos. Se não acertou nenhuma, você tem o perfil ideal de candidato, apresente-se nas próximas eleições, que vai ganhar de barbada.
 
 
 

 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário