CRÔNICAS

OROZIMBO NONATO NELES!

Em: 14 de Janeiro de 1997
Tags:
Visualizações: 2762

.

Contei a vocês que sou professor normalista? Pois é. Sou sim. Com muito orgulho, tirei meu diploma no velho IEA - Instituto de Educação do Amazonas. Estudava à noite. Era "bendito-é-o-fruto", numa turma de 60 mulheres. Entre minhas colegas, havia duas irmãs gêmeas: Jucea e Juceneide. Ambas baixotinhas, tinham bunda de saúba e peito de pombo. Uma delas, acho que a Juceneide, gordota e roliça, namorava escondido o prefeito de Tefé que, por sinal, era casado.
Minha Santa Etelvina! Como a fofoca se apropria da minha alma e me dispersa! Não era da Juceneide que eu queria falar. Era da Jucea. Ou por outra, não era bem da Jucea, minha ex-colega. Aliás, meu tema não tem nada com as duas irmãs, mas com dois irmãos: Ronaldo e Robson Tiradentes. Por que então me lembrei das duas? Ah, já sei.Várias certidões expedidas por outra JUCEA - a Junta Comercial do Estado do Amazonas - chegaram às minhas mãos. Fazem parte de um dossiê cabeludo sobre os dois.
Na certidão nº 544/96, de 12 de abril do ano passado, o bacharel Paulo de Oliveira, secretário geral da Junta Comercial, jura que a empresa "Aspecto Publicidade Ltda." não está registrada na JUCEA. A técnica Sandra Rocha confirma. Ela datilografou, conferiu e assinou embaixo. Não temos qualquer razão para duvidar da palavra do Paulo, conferida pela Sandra. Realmente, esta empresa não existe no Amazonas. Legalmente, é um fantasma.
No entanto, esta empresa-fantasma é quem distribui a propaganda comercial exibida nos vidros traseiros dos ônibus de Manaus. Fatura mensalmente 40 reais com cada ônibus. Ora, são mais de 900 ônibus circulando na cidade. Ganha ilegalmente 36.000 reais e nem podia sequer participar de qualquer licitação da Prefeitura. Se Orozimbo Nonato soubesse disso, ficaria louco.
Mesmo um fantasma tem um lugar onde mora, uma caverna onde se encafifa. Até o Ali Babá tinha. Afinal, onde se esconde a tal "Aspecto Publicidade"? O seu endereço - Av. Ayrão, 426 - é o mesmo da firma RT Importações de Artigos Eletro-Eletrônicos Ltda, essa sim, com seu contrato registrado na Junta Comercial, tendo dois sócios: Ronaldo Lázaro Tiradentes e seu irmão, Robson Roberto Tiradentes.
Estou com cópia do contrato aqui em minhas mãos. Leio que a RT Importação, criada em junho de 1989, nada tem a ver com publicidade. Cuida só de importação. Seu capital social, em sete meses, pulou de 10 mil para 180 mil cruzados novos, dividido meio a meio entre os dois irmãos. Trata-se de um fenômeno, um aumento de 1.800% em menos de um ano, capaz de dilacerar a consciência jurídica de um Orozimbo Nonato.
A RT Importação - diz o contrato - é uma sociedade por quotas de responsabilidade limitada. Aliás, limitadissima. A prova é que importou, mas não se responsabilizou pela saída ilegal da Zona Franca de Manaus das motocicletas Suzuki, de grande cilindrada. A Polícia Federal instaurou vários inquéritos para descobrir a falcatrua. Há um mês e meio, Robson Tiradentes, ouvido pela delegada Maria Aparecida, não soube explicar porque uma das motos, que ficou com ele, passou três anos sem registro no DETRAN.
Uma firma não existe. A outra, acusada de trambicagem, deve 40 mil reais ao fisco estadual, não declara imposto de renda, não recolhe FGTS, INSS e ISS. Enfim, nunca, em toda a história do Direito Comercial Brasileiro, tantas irregularidades foram detectadas por Orozimbo Nonato.É um escândalo. Sobretudo, porque os dois envolvidos são parlamentares, que deviam dar bom exemplo.
A declaração de bens do vereador Robson Tiradentes, publicada domingo, é uma gracinha, como diria Hebe Camargo. Tudo o que ele possui se reduz a um imóvel, um automóvel e uma linha telefônica. Omite bens. Não dá enderêço do imóvel, não apresenta características nem valores de cada bem, tal como fizeram seus colegas. É um escárnio. Desta forma, ele zomba de mim e de ti, leitor (a). Enxovalha a Câmara de Vereadores. Menospreza a opinião pública. Sacaneia o Poder Judiciário.
Os irmãos Tiradentes - os próceres da subserviência - estão metidos em tudo que é trapalhada. Não tem uma semana que um deles não apronte. Desde pequenos delitos como agressão verbal à Fafá de Belém, desacato à autoridade aduaneira, porrada no frentista do Posto Zelo, ameaça à integridade física da deputada e jornalista Beth Azize e arruaças no trânsito até pecados cabeludos como falsificação de diplomas, registro irregular de jornalista e um sem número de trambicagens empresariais.
A falta de escrúpulos é absoluta, porque existe a certeza da impunidade. A Assembléia Legislativa desmoraliza-se, quando nem sequer responde ao pedido de suspensão da imunidade parlamentar para que a Justiça Federal possa processar o deputado Ronaldo. "Enquanto o Amazonino for governador, ninguém toca na gente", declara o "Alferes", prá quem quiser ouvir. Alguém tem de dar um basta na família Boticão, que está passando dos limites. A Policia Federal não conseguiu. Quem, então?
"Esta é uma tarefa para Orozimbo Nonato", pensei. Justifico: este jurista é a maior autoridade do Brasil em direito comercial. Foi ele quem redigiu o projeto de Código Civil. Não existe nenhuma petição de advogado ou sentença de juiz em qualquer biboca do País que não traga uma citação de Orozimbo Nonato. Aliás, com um nome desse, de piauiense sem-terra, tinha mesmo quer ser muito bom para firmar jurisprudência.
Conto um fato para mostrar seu poder imensurável. Tenho um primo, promotor, para quem é Deus no céu e Orozimbo no forum. Um dia, o filho dele - Públio Júnior - não queria fazer as tarefas da escola. Tentou-se convencê-lo por todos os meios. Nada. Até que meu primo chamou o moleque, deu-lhe um esporro, recorreu ao direito das obrigações e citou Orozimbo Nonato em latim. "Orozimbo não, papi! Orozimbo não!", gritava Públio Jr. tremendo de medo. Aí, correndinho, fez a tarefa em tempo recorde.
Orozimbo falou, tá falado. É inapelável. Irrecorrível. Daí o fascínio que ele exerce sobre todos os rábulas. Portanto, é a pessoa mais indicada para revelar as trapaças dos irmãos Tiradentes. Por isso, decidi pedir um parecer dele, que está morto. A consulta, é claro, foi realizada numa sessão espírita. Ele pediu data venia e falou na língua do professor Agenorum:
- "Orate frater Tiradentorum. Ubi Ronaldorum et Robsorum, ibi trambicatio. Puto: dicta est injuria, quod fit non jure. Bene vulgo audire est verum patrimonium, non auri sacra fames. Tertius Ciclus porrae quicumque non est, ejusdem farinae produit. Amor, tussis et corruptio non celantur. Claudite pipum mamaderi, sat frater Tiradentorum abunda biberunt. Carbonem incandescentis inviate, comissarius Rosinaldus et Maria Aparecidae. Sumus vobiscum et cum spiritu tuo et non aperimus.
Com meu precário latim de missa, traduzo: "Rezai pelos irmãos Tiradentes. Onde estão Ronaldo e Robson, ai tem truta. Penso: é uma injustiça aquilo que eles fazem fora da lei. Esquecem que o verdadeiro patrimônio é a boa reputação e não a maldita sede de ouro. O Terceiro Ciclo não é de porra nenhuma, só fabrica farinha do mesmo saco. Mas não adianta, três coisas ninguém pode esconder: o amor, a tosse e a corrupção. Basta! Fechem o pipo da mamadeira, pois os irmãos Tiradentes já mamaram demais. Mandem brasa, delegados Rosinaldo e Aparecida. Estamos com vocês, com o espírito de vocês e não abrimos.

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

Nenhum Comentário