CRÔNICAS

DEIXEM DEUS EM PAZ!

Em: 08 de Agosto de 2004
Tags:
Visualizações: 3015

 

Como na música cantada por Chico César, “tem gente que não deixa Deus em paz”. É o caso de vários candidatos que percorrem igrejas, templos e terreiros em busca de votos. Ontem, um deles rezou o ‘Pai-Nosso’ coletivo numa igreja de Manaus, mas numa versão desatualizada. Enquanto todo mundo implorava o “perdão das nossas ofensas”, ele destoava, pedindo em voz alta a Deus para “perdoar as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores”. Jovens ali presentes pensaram que se tratava de requerimento de isenção do IPTU de uma certa mansão, e não da fórmula antiga da oração. A última vez que esse candidato rezou foi em 1954, quando veio de Eirunepé para fazer a primeira comunhão em Manaus, durante o Congresso Eucarístico.
 
Muitos candidatos passam a vida inteira fugindo de Deus e dos orixás como o capiroto foge da cruz. No entanto, basta abrir o período eleitoral que eles, compungidos, com cara de devotos, passam a demonstrar publicamente uma fé que nunca tiveram. O Herbert Amazonas, por exemplo, já comungou alguma vez em sua vida? A última missa assistida pelo Plínio Valério foi mesmo aquela celebrada por frei Henrique de Coimbra? Por que a Vanessa nunca dançou em louvor aos orixás? O que é que o nosso amigo Serafa estava fazendo na igreja presbiteriana de Manaus?
 
Alguns candidatos, como canta Chico César, “tratam Deus como se fosse um funcionário seu”, explorando o que existe de mais profundo e de mais sagrado na vida de uma pessoa: a fé. Tornam-se ladrões da fé alheia. Chico César tem razão: “essa gente é o diabo e faz da vida de Deus um inferno”. O Artur Bisneto visitou o bispo de Manaus, que lhe pediu: “reze o Credo, meu filho”. A resposta foi uma interjeição de surpresa: - “Credo, dom Luiz!” A última confissão do Amazonino foi há 50 anos, dois meses, cinco dias e catorze horas. Haverá um terremoto em Manaus se o Negão rezar, hoje, o ato de contrição. O confessor só concordará com aquela parte que diz: “pesa-me também, por ter perdido o céu e merecido o inferno” ou na nova fórmula: “por ter pecado, mereci ser castigado”. .
 
Sinceramente, leitor, quando esses candidatos morrerem, você acha que eles vão pro céu ou pro inferno? Passarão quanto tempo no purgatório? Deus perdoará a ‘dívida’ deles, assim como eles nunca perdoam os seus devedores? Tais perguntas poderão ser respondidas, analisando a agenda religiosa dos candidatos publicada hoje com exclusividade pelo “Taquiprati nas eleições”.
 
VANESSA GRAZIOTIN – De manhã, visita à Federação Espírita Amazonense, lá no Dom Pedro, para participar de uma sessão. A candidata ouvirá a leitura do Evangelho e, depois da preparação espiritual, aguardará que o espírito do camarada Vladimir Illitch Lênin se manifeste e se incorpore. Quando Lênin surgir na camada energética, sombreando o médium, Vanessa perguntará dele: “O que fazer?”, procurando uma saída para três problemas: a história da isenção do PIS/Cofins para a Zona Franca de Manaus, o apoio do Omar Papa-Anjo e a fragmentação do PC do B, dando origem ao PC do PQP formado pelo grupo liderado por Edson-Arminda Mourão.
 
SERAFIM CORRÊA – De manhã, celebração de um grupo de renovação carismática. Depois de deitar no altar para repousar o espírito, e após entrar em transe, o candidato vai receber o Espírito Santo, procurando adquirir o dom das línguas (para os debates) e o dom da profecia, para saber quem vai pro segundo turno. De tarde, corpo a corpo na procissão de Santana, a avó de Cristo, na zona Oeste. De noite, o candidato vai rezar o terço em família, cantando no final o hino de Nossa Senhora de Fátima, de quem é devoto: “A três de outubro, a urna se abria, na cédula aparece, uma grande alegria. Ave! Ave! Ave Maria!”.
 
PLÍNIO VALÉRIO – De manhã, visita ao túmulo de Santa Etelvina, a padroeira dos –digamos assim – “inocentes”. Lá, o candidato vai acender várias velas. De tarde, missa na igreja de São Sebastião, seguida de um corpo a corpo com as pessoas que estão passeando na charrete do Berinho, dando voltas e lesando ao redor do Teatro Amazonas. De noite, sessão de fotografia, com a cartola e o fraque do avô do Berinho.
 
HERBERT AMAZONAS – Participação na novena da Igreja de São José Operário, rezada pelo padre Sérgio Lúcio, para pedir proteção aos trabalhadores do Distrito Industrial. Se José é operário, José é PSTU, José vota em operário, José não vota em burguês. O candidato rezará a ladainha de São José: contra a Alca, rogai por nós; contra o FMI, rogai por nós; a favor das invasões, rogai por nós; da volta do Negão ao poder, “libera nos, domine!”. Depois, o candidato fará um corpo-a-corpo no engarrafamento da Ramos Ferreira com a Visconde. De tarde, sessão espírita para psicografar o livro do Lênin “Esquerdismo, a doença infantil do comunismo”. De noite, ver o ensaio do grupo do TESC, coordenado por Márcio Souza, da peça “Karl Marx na Zona”, que por sinal está excelente.
 
ARTHUR BISNETO – O candidato está ainda sob o impacto da sessão de macumba da semana passada, quando o “cavalo” montado pelo espírito do saudoso Arthur pai aconselhou: “Izifio, encomenda logo o tataraneto, porque o bisneto não vai decolar”. Visita ao terreiro do babalorixá Sobreira, em busca de um contato com os seres de luz para o reforço do Axé. Sessão de defumação, com experiência de transe Invocação dos pretos-velhos, caboclos, boiadeiros, exus e pombas-giras. Recebimento de passes e descarregos para debelar a energia negativa. Contato com o Caboco das Sete Encruzilhadas.
 
AMAZONINO MENDES – O candidato não divulgou sua agenda, mas o Pão Molhado conseguiu espionar para a coluna. De manhã, três sessões seguidas: uma de descarrego, outra de desencapetamento e uma terceira de descapirotização para tirar satanás do corpo. Tudo isso na Igreja Universal do Reino de Deus (IURDS). De tarde, o pastor Silas Câmara, em sessão pública no auditório Canaã da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, celebrará dois rituais: um, intitulado ”Quem ‘trabalha’, volta sempre ao lugar do crime” e o outro “Quem comeu, quer voltar”. Silas bradará: “Irmão! Aleluia! Aleluia! Peixe no prato, farinha na cuia!”.

 

P.S. 1 Senhores candidatos, comam buchada de bode, devorem a empada que matou o guarda, vistam roupa de astronauta, como fez o John Kerry, mas mudem suas agendas religiosas e não metam Deus no meio dessa pouca-vergonha. Isso despolitiza o debate, deseduca a população e manipula a fé das pessoas. É como na brincadeira infantil do “par ou ímpar”: com a fé da mãe não se brinca.

P.S. 2.  Lula é presidente há 585 dias e não homologou a Terra Indígena Raposa Serra do Sol conforme o prometido, o combinado. 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

1 Comentário(s)

Avatar
Paulo Bezerra comentou:
11/11/2011
É como disse o Papa Leão X : "A fábula de Cristo é de tal modo lucrativa que seria ingênuo advertir os ignorantes do seu erro". Aí vem Napoleão Bonaparte e arremata: Religião é uma coisa excelente para manter as pessoas comuns quietas".
Comentar em resposta a Paulo Bezerra