CRÔNICAS

A OPERAÇÃO SAÚVA, A MÍDIA E A APOSENTADORIA DE OMAR AZIZ

Em: 21 de Setembro de 2006 Visualizações: 4566
A OPERAÇÃO SAÚVA, A MÍDIA E A APOSENTADORIA DE OMAR AZIZ

Aos cadastrados no site Taquiprati

Hoje, dia 21 de agosto de 2006, a Folha de São Paulo publicou matéria de interesse dos leitores amazonenses. A apuração e o texto são da correspondente da Folha no Amazonas, Kátia Brasil. Trata-se de um texto jornalístico informativo impecável, corajoso e independente.  Submeto à consideração de cerca de 2.800 pessoas cadastradas no site. Cartas de apoio à Kátia Brasil para esse site.

Abraços
Ribamar Bessa

 

ELEIÇÕES 2006 / ESTADOS

Para ter aposentadoria, vice do AM pressionou deputados 
Omar Aziz (PMN) também pediu à imprensa local que não publicasse a notícia.

Emenda à Constituição do Estado aprovada no ano passado garante R$ 20 mil por mês a político depois que ele deixar o cargo 
KÁTIA BRASIL DA AGÊNCIA FOLHA, EM MANAUS

Escutas da Polícia Federal feitas para a Operação Saúva, que desmontou um esquema de corrupção em licitações no Amazonas, acabaram gravando, no final do ano passado, o vice-governador do Estado e candidato à reeleição, Omar Aziz (PMN), pressionando a Assembléia Legislativa pela aprovação de uma emenda constitucional que garantiu a ele, quando deixar o cargo, uma aposentadoria de aproximadamente R$ 20 mil. As gravações também mostram Aziz tentando impedir a imprensa local de divulgar a notícia.

As gravações foram feitas em dezembro no ano passado e janeiro deste ano. Aziz utilizava o telefone celular - que estava grampeado - do seu assessor Manoel Paulino da Costa Filho, um dos presos pela PF por suspeita de envolvimento nas fraudes em licitações.

Nas conversas, Aziz, 47, tenta apressar a aprovação da emenda. Na época, ele temia não ser escolhido para compor a chapa à reeleição do governador Eduardo Braga (PMDB).

"Nos temos até o dia 20 [para aprovar a emenda da aposentadoria]... Se algum jornal [ficar sabendo], você tem que me avisar com antecedência, tá certo, pra eu segurar, viu?", diz ele em conversa com o presidente da Assembléia, Berlamino Lins (PMDB), em dezembro.

Em outra ligação, Aziz fala com o deputado Francisco Balieiro (PMDB) até sobre o horário em que a emenda deveria ser aprovada para não chamar atenção da oposição.

"Eu tô preocupado, se não sair agora [a emenda] não sai nunca mais, entendeu?", diz Aziz. Balieiro responde que a emenda vai ser aprovada "na surdina". Aziz completa: "Isso! Lá de madrugada".

A emenda constitucional foi aprovada em 21 de dezembro, alterando o artigo 278 da Constituição do Estado, que concedia a aposentadoria apenas a governadores. Assinaram a emenda Berlamino e os deputados Liberam Moreno (PHS), Vicente Lopes (PMDB), Wanderley Dallas (PMDB), Lino Chíxaro (PPS), Wallace Souza (PP), Arthur Virgílio Bisneto (PSDB) e Sinézio Campos (PT).

A remuneração aprovada para o vice-governador corresponde a 95% do salário de um desembargador (R$ 22 mil).

Imprensa
No dia 26 de janeiro deste ano, uma nota sobre a alteração do artigo foi publicada no jornal A Crítica, de Manaus. Com isso, Aziz iniciou uma operação abafa - para evitar que outros jornais também publicassem a notícia - que lhe custou oito horas e 16 ligações.

O vice-governador ligou para o superintendente de A Crítica, João Bosco Bezerra de Araújo.

- "O único jornal que publicou... A única coisa que eu pedi", reclama Aziz.

- "Pisei na bola com você, mas vou corrigir assim, mandando parar, tá?" -  responde Araújo.

Em seguida, Aziz liga para o vice-presidente deste Diário do Amazonas, Francisco Cirilo Anunciação Neto, e pede para que ele dê "uma segurada" na história.

- "Deixe comigo",-  responde Anunciação.

Em seguida, Aziz contata o empresário Samuel Hanan, que foi vice do ex-governador Amazonino Mendes (PFL). Amazonino é conselheiro do Correio Amazonense.

- "Samuel, A Crítica saiu numa matéria hoje sobre aquele negócio, entendeu? Eu queria que tu desse uma ligada [para a redação do Correio] pra reforçar, pra não deixar sair nada", diz o vice-governador. "Eu falei com o Amazonino. Ele vai pra lá [para a redação] agora pra tirar, inclusive tinha algumas notinhas em colunas, vai tirar tudo" -  diz Hanan.

O juiz Cassio André Borges dos Santos, mestre em direito constitucional pela PUC-SP, afirmou que a aposentadoria para vice-governador é inconstitucional porque fere o princípio da igualdade - o vice conseguiria se aposentar com apenas quatro anos de trabalho, diferentemente dos outros cidadãos do país. Jornalistas negam ter sofrido pressão de vice-governador para não publicar notícia

Outro lado

DA AGÊNCIA FOLHA, EM MANAUS

Os assessores do vice-governador do Amazonas Omar Aziz (PMN) disseram que ele estava cumprindo agenda de trabalho na sexta-feira, quando foi procurado pela Folha, mas que ele responderia à reportagem, o que não aconteceu.

O deputado Eron Bezerra (PC do B) afirmou que, à época da aprovação da emenda de aposentadoria, recebeu uma ligação do vice-governador.

-  "O Omar me ligou, de fato, pedindo apoio formal. Eu disse que não queria saber disso e o máximo que faria era votar contra, que eu acho que votei."

O superintendente do jornal A Crítica, João Bosco Bezerra de Araújo, disse que não lembrava de ter conversado por telefone com Aziz sobre a não-divulgação de matérias.

-  "Se o Omar Aziz me pediu isso, e eu não estou lembrado, posso lhe assegurar que a orientação que eu tenho como funcionário é que nós não cederemos jamais quando tivermos um fato jornalístico na mão.

O ex-governador Amazonino Mendes (PFL), conselheiro do jornal Correio Amazonense, disse que não soube de pressões de Aziz para tirar do noticiário a aprovação da emenda.

Francisco Cirilo Anunciação Neto, vice-presidente do Diário do Amazonas, disse que não houve prejuízo da liberdade de imprensa.

- "Não considero que, neste caso, houve cerceamento da liberdade de imprensa. Tomo decisões, diariamente, como faz todo proprietário de veículo de comunicação em qualquer lugar do mundo", afirmou Anunciação, por e-mail. "Deixar de publicar um assunto já explorado por outros veículos de comunicação não significou que houve um atentado à liberdade de imprensa.

O presidente da Assembleia Legislativa, Berlamino Lins (PMDB), segundo sua assessoria, encontrava-se ontem viajando e não foi localizado. Também não foram localizados os deputados estaduais Francisco Balieiro (PMDB) e Lino Chíxaro (PPS).

O empresário Samuel Hanan (PSDB), ex-vice-governador do Amazonas, não foi localizado no escritório em São Paulo, onde trabalha atualmente. (KB).

OS DIÁLOGOS

TELEFONEMAS GRAVADOS PELA PF ENVOLVENDO VICE-GOVERNADOR DO AMAZONAS, OMAR JOSÉ ABDEL AZIZ (PMN)

1. 06/12/2005

Aziz orienta o presidente da Assembleia, Belarmino Lins (PMDB), sobre como aprovar a emenda que garante aposentadoria ao vice-governador.

OMAR AZIZ: - “Chama o Balieiro [deputado Francisco Balieiro, líder do PMDB] e o Lino [deputado Lino Chixaro, PPS, secretário geral da Assembleia] para acertar aquele assunto [a emenda], meu príncipe. Porque nós temos até o dia 20 [de dezembro].

BELARMINO LINS: -  “Tudo bem. Isso ai nós vamos ter. Nós vamos no escuro, mas se vier [alguma rejeição por parte dos deputados da oposição] com banzeiro a gente faz tsunami.

OMAR AZIZ: - “É. Mas tu só me avisa com antecedência, que ai eu trabalho, cê tá me entendendo? O Eron [deputado oposicionista Eron Bezerra, do PC do B] tá sabendo e vai ficar calado, entendeu?

LINS: - “Positivo” .

 

2. 06/12/2005

No mesmo dia, Aziz liga para o deputado Francisco Balieiro, pedindo pressa na aprovação.

AZIZ – “Eu tô preocupado, se não sair agora, não sai nunca mais, entendeu?

BALIEIRO – “Não, vai sair sim.

AZIZ – “Mas olha, ô, você cuida disso para mim, pessoalmente, tá, Balieiro?

BALIEIRO – “A gente vai aprovar essas duas [a emenda e uma vaga para conselheiro do TCE).Tudo na surdina”.

AZIZ – Isso! Lá de madrugada.

 

 3. 26/01/2006

No dia 22 de dezembro, é publicada no Diário Oficial do Amazonas a emenda constitucional. O jornal A Crítica, de Manaus, publica uma nota sobre o assunto. Aziz liga para o superintendente do jornal, João Bosco Bezerra de Araújo, para reclamar da publicação do artigo.

AZIZ –“Meu amigo, eu te pedi um favor e você... porra!

BOSCO – “Você não pede favor, você dá ordem”.

AZIZ – “Não dou nada. Se eu desse, não saía. O único jornal que publicou... A única coisa que eu pedi. Ninguém deu!”

BOSCO – “Pisei na bola com você, mas vou corrigir assim, mandando parar, tá?  

 

4. 26/01/06

Aziz liga para o vice-presidente deste jornal Diário do Amazonas, Francisco Cirilo Anunciação Neto.

ANUNCIAÇÃO – “É aquele negócio da sua aposentadoria, todo mundo segurou, só a sua amiga [Cristina Corrêa, proprietária de A Críticadeu.

AZIZ – “É, agora tá todo mundo correndo atrás também, né? [...] Mas tu dá uma segurada ai pra mim nisso.

ANUNCIAÇÃO – “Não. Deixe comigo, deixe comigo”.

 

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

1 Comentário(s)

Avatar
Wagner Figueiredo (VIA FB) comentou:
30/12/2017
São as sacanagens que acontecem nos bastidores desses pilantras que são verdadeiros sanguessugas do povo e que só ficamos sabendo dessas atitudes sórdidas através dessas revelações feitas por esse grande jornalista que não tem papo na língua e denuncia mesmo toda essa safadeza fora muitas outras que não sabemos.Portanto gostaria de saber se essa sacanagem prevaleceu ou foi extinta essa aposentadoria.
Comentar em resposta a Wagner Figueiredo (VIA FB)