CRÔNICAS

NIEMEYER NO SONHO DE DARCY

Em: 09 de Dezembro de 2012
Tags:
Visualizações: 11418

i

As imagens do enterro de Oscar Niemeyer (1907-2012), nesta sexta feira, me fizeram lembrar um sonho erótico, quase pornográfico, que teve Darcy Ribeiro com o arquiteto. Ele sonhou que o governo brasileiro nomeava a ambos para missão de alto nível na África: selecionar mulheres que queriam migrar para o Brasil. Milhões de belas candidatas negras faziam filas intermináveis que se estendiam por todo o litoral africano, de onde olhavam o Brasil. Como escolhê-las? Os dois examinadores inventaram um teste que era pimba na gorduchinha: o "teste do cheiro".
Mas antes de contar como foi aplicado o tal teste, convém contextualizar o sonho. Darcy passara por Manaus, em 1978, para ministrar um curso organizado pelo Conselho Indigenista Missionário (CIMI). Avisei seu amigo, o poeta Thiago de Mello, que me perguntou
- Onde ele está hospedado?
- Acho que na Casa Jordão.
Era lá, nessa casa de retiro dos Salesianos, no bairro do Aleixo, que acontecia o curso e era lá que estavam alojados todos os participantes. Thiago quis saber se, entre eles, havia mulheres. Diante da resposta negativa, afirmou categoricamente:
- Então Darcy não fica lá. Ele jamais dorme em recinto onde só tem homem. Jamais! Tem que ter mulher debaixo do mesmo teto. Pode ser apenas uma única mulher, jovem ou velha, bonita ou feia, pode até ser freira e se alojar em quarto separado, mas sem sentir cheiro de mulher, no ar, ele não dorme. Não dorme! 
A Casa Jordão, com odor de santidade, estava ocupada exclusivamente por homens. Por isso, de lá se pirulitou Darcy, pecador confesso. Consegui localizá-lo bem longe dali, no Hotel Flamboyant, na Av. Eduardo Ribeiro, onde, enfim, se hospedara. Com Thiago, fomos lá convidá-lo para um show que o poeta dava no Teatro Amazonas em parceria com o cantor Sérgio Ricardo. Foi quando Darcy nos contou que estava esgotado, pois passara a noite toda labutando em árdua missão na África.
Cheio de mundo
Foi na África que pensei quando vi na tv imagens dos dois velórios: o de Brasília, na quinta-feira, e o do Rio, na sexta, porque em ambos havia filas com milhares de pessoas, autoridades, funcionários, estudantes e gente humilde do povo. Cadetes carregavam pela rampa do Palácio do Planalto "un cadáver lleno de mundo", como no poema de Vallejo. Os jornais entrevistam um pedreiro, uma doméstica, uma cobradora de ônibus, um eletricista, vindos de longe, endomingados, enfatiotados, que acenavam com lenços, alguns chorando na despedida ao construtor de Brasília.
No velório do Palácio da Cidade, no Rio, dois padres, um rabino e um pastor luterano oficiaram cerimônia ecumênica rezando pelo arquiteto que, embora ateu convicto, havia projetado igreja, mesquita, templos e casas de reza, com admiração e respeito por aqueles que têm fé e professam algum tipo de religião. "Niemeyer ajudou a entender o significado da passagem bíblica que diz: a fé remove montanhas" - falou o pastor Mozart Noronha  
É que Niemeyer acreditava, como comunista suprapolítico, na igualdade, na justiça e na solidariedade entre os homens. Lutou a vida toda por isso. E se o teólogo Leonardo Boff tiver razão, se Deus significa "entusiasmo" na derivação da palavra grega, então Niemeyer foi um ateu ébrio de Deus. No velório, até comunistas rezaram. A mulher de Luis Carlos Prestes estava lá, com uma bandeira vermelha, cantando o hino da Internacional Socialista.
- Niemeyer foi inabalavelmente comunista por mais de seis décadas - escreveu Jacob Gorender.
Na entrevista dada a um jornal, Maria Elisa Costa, filha de Lúcio Costa, conta que quando tinha três anos de idade, Niemeyer costumava brincar com ela toda vez que a encontrava dizendo: "Você é comunis..." E ela completava: "Tá".
- Eu muito me envergonharia se fosse um homem rico - declarou Niemeyer, que poderia ter acumulado bastante grana se a isso se dedicasse. Viveu sempre honestamente do seu trabalho. Deu-se o prazer de fazer vários projetos sem nada cobrar, como a Biblioteca Comunitária Tobias Barreto, na Vila da Penha, mantida pelo pedreiro Evando dos Santos ou a passarela projetada na comunidade da Rocinha, entre tantos outros. Chegou a doar um apartamento a Prestes. Depois do golpe militar de 64 foi interrogado num Inquérito Policial Militar (IPM) por um general, que queria saber como havia constituído seu razoável patrimônio.
- Dando o fiofó, general - teria respondido, irreverente, o arquiteto, que já era internacionalmente conhecido e requisitado no mundo todo por clientes públicos e privados. Uma resposta à altura da pergunta.
Poeta da Curva
Jornais internacionais deram amplo destaque à morte de Niemeyer. Desde o Granma, de Cuba, que exaltou sua "paixão pelos humildes", até o New York Times, que dedicou uma página inteira ao "poeta da curva",  responsável pela identidade do Brasil moderno, passando pelo Le Monde que o chamou de "arquiteto da sensualidade". Mas Niemeyer não estava nem aí, como havia já afirmado em entrevista:
- O sujeito que pensa que é importante, para mim, é um débil mental. O homem está num planeta pequenininho, no fim da galáxia, longe de tudo. Isso dá uma ideia da precariedade do ser humano, que é um fodido. Nasce, morre, como outro bicho qualquer, por isso mesmo deve ser mais modesto, ver a vida com paciência, sabendo que estamos no mesmo barco.
Resposta semelhante deu quando completou cem anos e um jornalista pediu que comentasse frase de Darcy Ribeiro para quem no ano 3.000 Caxias, Marechal Deodoro, Pelé, Gonçalves Dias - toda essa gente estaria esquecida e que o único brasileiro lembrado seria ele, Niemeyer.
- Quem garante que no ano 3.000 ainda existirá Brasil e brasileiros? Quem nos assegura que a espécie humana ainda existirá?
No Cemitério São João Batista, a Banda de Ipanema atacou "Cidade Maravilhosa" e "Carinhoso", de Pixinguinha, que - eu pensei - cairiam muito bem se tivesse tocado também na hora do "teste do cheiro", cuja aplicação prescindiu, infelizmente, de fundo musical. É que Darcy esquecera de convidar para o seu sonho os integrantes da Banda, que no enterro vestiam camisetas, onde estavam impressos desenhos com os traços inconfundíveis de Niemeyer e uma frase dele:
- De curvas é feito todo o universo.
Essas curvas que o mundo inteiro admirou. No bairro de Aparecida, em Manaus, nos anos 1960, atuava um "arquiteto descalço", autodidata, sem diploma, que sequer havia concluído o curso primário no Grupo Escolar Cônego Azevedo. Talentoso, grande desenhista, Edilson, filho da dona Pequenina, mais conhecido como Gaguinho, era contratado para desenhar e projetar as reformas das casas do bairro e adjacências. Foi aí que se apropriou das colunas do Alvorada, presentes em quase tudo que fazia. Era o Niemeyer chegando nos mais longínquos rincões da pátria. 
Uma das melhores sínteses do conjunto da obra de Oscar Niemeyer foi feita pelo jornalista Leonel Kaz, que trabalhou com Darcy Ribeiro:
- A arquitetura é o lugar para deixar a nuvem entrar, como no prédio do Ministério da Educação, é o lugar para o mar mergulhar na gente como das janelas do Museu de Arte Contemporânea de Niterói. A beleza dos traços do arquiteto era leve porque não eram os traços do homem, mas das curvas sinuosas de pedra, ondas do mar, pássaros e lagartos. Ele se apropriou, como homem, do que não era humano exatamente para nos tornar mais humanos.
Teste do cheiro  
O próprio Niemeyer, em declarações anteriores em que defendia as curvas, oferecera motivos para que ficasse conhecido entre os franceses como "o arquiteto da sensualidade":
- Não é a linha reta que me atrai, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual que encontro nas montanhas, no curso sinuoso dos rios, nas nuvens, no corpo da mulher bonita.
Mulheres bonitas, deslumbrantes, sensuais, cheias de curvas, calipígias, bundas empinadas, peitos ondulados era o que não faltava no sonho que Darcy nos havia contado, no qual Niemeyer foi protagonista. Elas queriam entrar no Brasil, mas tinham de passar por um grande portão na frente do qual estavam os dois futuros construtores do Sambódromo, que eram as sentinelas que detinham a chave para abri-lo.
Duas filas gigantescas de mulheres africanas, totalmente nuas, esperavam para entrar, mas só podiam fazê-lo se aprovadas no "teste do cheiro". As filas avançavam lentamente, primeiro eram examinadas por Darcy e, depois por Niemeyer, que passavam suavemente a mão no sexo de cada uma delas, alisavam, faziam carinho e, em seguida, cheiravam a própria mão, quando então avaliavam:
- Essa pode passar! A seguinte.
Foram milhões de mulheres. Darcy, com seu riso moleque, disse que nenhuma delas foi reprovada. Todas entraram no Brasil. É por isso que o nosso país é tão rico e diversificado. Alguns anos depois, Darcy iria construir com Niemeyer o sambódromo, templo da carnavália. O sonho havia sido tão real que ele, mostrando as mãos ao Thiago, jurava que estavam ainda impregnadas daquele perfume  afrodisíaco coletado in loco.
- O que conta não é a arquitetura, mas a vida, os amigos e este mundo injusto que devemos modificar - dizia Oscar Niemeyer, já fora do sonho do Darcy, injetando esperanças na arquitetura deste Brasil que ele, mais do que ninguém, ajudou a construir, o que acirrou em todos nós o orgulho da brasilidade. O Brasil já é bonito por natureza. Niemeyer criou beleza nos espaços onde a mão do homem se intrometeu. Merece descansar em paz!

 P.S. - A foto é de autoria do cineasta amazonense Aurelio Michilles e foi tirada em Cunha (SP)

Comente esta crônica



Serviço integrado ao Gravatar.com para exibir sua foto (avatar).

39 Comentário(s)

Avatar
teste comentou:
14/03/2013
Avatar
Maria Helena comentou:
30/12/2012
Puxa! belíssimo escrito. Chorei e me alegrei. Adorei tudo e me tocou muito: "Deu-se o prazer de fazer vários projetos sem nada cobrar..." Feliz quem pdoe gozar desse prazer, não? Bjs.
Comentar em resposta a Maria Helena
Avatar
TiTa Ferreira comentou:
20/12/2012
“Uma direita sem proposta e uma esquerda sem vergonha, é o que temos no Brasil.” [Raymundo Araujo Filho em 19DEZ2011] BRASÍLIA, ACAPITAL FEDERAL E SEUS ENTORNOS MALDITOS..! “É incontestável o seu valor como tentativa Arquitetônica inovadora .!! No entanto, a sua Aparência, tem um quê de, hum Lugar que a rigor, não fora preparado para a “MESTIÇAGEM BRASILEIRA”.!” (Vital Farias) Escrito por Vital Farias 19 de Outubro 2012, em Vital Farias, O Cantador 1. Brasília no meu entender,é huma SOLUÇÃO, Arquitetônica,Sonhada na época em que A Classe Média Carioca, e seus Arquitetos e Engenheiros, Redescobririam Uma Invenção que se Chamada de “AEROPLANO”.!!! POR ISSO A Arquitetura de Oscar Niemayer e Lucio Costa, imbuídos dessa nova realidade da AVIAÇÃO como Transporte Moderno, naquela ocasião,construíram huma Aeronave “Apregada no Chão”, em Pleno Planalto Central! Com as respectivas Asas: Asa Norte e Asa Sul.! Juntamente com o presidente Juscelino dando ASAS a Imaginação, DENOMINADA DE ”PLANO PILOTO”! Acredito que a beleza estampada nas Belíssimas fotos, do Fotografo, BENTO VIANA, na sua maioria, dão hum efeito espetacular e impressiona aos Olhares mais Míopes que possam existir nas Vistas Aéreas de huma Magnitude exemplar! “BRASÍLIA NOTURNA E FOSFORECENTE“!. É preciso dizer Alto e em Bom Som, que, a “ARQUITETURA BRASILIENSE” Projetada, por esses dois “ICONES” a rigor, não “fôra” traçada, como HUMA PREOCUPAÇÃO BRASILEIRA.!! ISTO, ESTÁ BEM CLARO! Talvez por isso, o seu valor como Patrimônio Cultural, NÃO CONTEMPLE, NEM SE LEGITIME, COMO CULTURA ESPECÍFICA DE HUM POVO…. POVO BRASILEIRO.! Na sua EDIFICAÇÃO PORTENTOSA, HÁ NO MEU ENTENDER, ARROUBOS DE ARROGÂNCIA! Fruto de Hum EQUÍVOCO, QUE SE ESTANDARTIZA: 1)- Na proposta IMEDIATISTA, do então, Presidente da República, Dr JUSCELINO KUBITCHEK DE OLIVEIRA, (Cincoenta Anos em Cinco).! 2)- A ASCENSÃO DA CLASSE MÉDIA COM A PROPOSTA “ESNOBE” “BOSSANOVÍSTICA”.! ÉPOCA QUE O RIO DE JANEIRO, (A Cidade Maravilhosa” CENTRO DAS ATENÇÕES ARTÍSTICOS-CULTURAIS, DE HUM PAÍS CHAMADO BRASIL.! AINDA CAPITAL FEDERAL, (de saudosa memória ao longe, no meu entender até então Criança/Adolescente.) 2)b)- HUMA CARTA NA MANGA DA CLASSE MÉDIA CARIOCA, QUE HABITAVA AS AREIAS DE COPACABANA, IPANEMA E LEBLON.! A MARCA REGISTRADA DE HUMA BEM- SUCEDIDA, CLASSE QUE VIRARIA AS COSTAS LOGO EM SEGUIDA, AOS QUE SE DESLOCARAM DO NORDESTE E DE OUTROS PONTOS DO PAÍS, E QUE CONSTRUÍRAM ESSA GRANDEZA, DENOMINADA a partir Dalí como “NOVA CAPITAL- BRASÍLIA, DISTRITO FEDERAL.! Assim, os Dois ARAUTOS da Arquitetura e da Engenharia, naquela ocasião, talvez inconscientemente, tenham construído o que se pode chamar sem sombra de Dúvidas de: “O PRIMEIRO CONDOMÍNIO FECHADO BRASILEIRO PARA PESSOAS DE FINO TRATO.!” Quanto aos trabalhadores denominados de “KANDANGOS” MALTRATADOS E OBRIGADOS QUE FORAM, LOGO EM SEGUIDA, A EVACUAR DO TERRITÓRIO OFICIAL, DEPOIS DA CONCLUSÃO DA RECÉM INAUGURADA-CAPITAL FEDERAL.! A PARTIR DAÍ, É QUE FORAM SURGINDO “A VERDADEIRA FACE DE HUMA “ARQUITETURA IMPERFEITA, GRANDIOSA E DESIGUAL, NO SEU ENTORNO (Vejam por favor, O Documentário do Mestre Cineasta; Prof:Vladimir Carvalho.!”“COMPANHEIROS VELHOS DE GUERRA.!”“) É incontestável o seu valor como tentativa Arquitetônica inovadora .!! No entanto, a sua Aparência, tem um quê de, hum Lugar que a rigor, não fora preparado para a “MESTIÇAGEM BRASILEIRA”.! HUMA HABITAÇÃO PARA “FIDALGOS”! PESSOAS DE FINO TRATO! INFELIZMENTE, NINGUÉM FOGE DO DESTINO E LOGO EM SEGUIDA, VIERAM AS EDIFICAÇÕES POPULARES, Daqueles que, não tendo onde cair mortos, e também, sem a menor preocupação dos que estavam contemplando os SEUS PRÓPRIOS UMBIGOS,”…! A verdade é que os milhares de TRABALHADORES, VINDOS DE TODOS OS Rincões do País, não estavam incluídos em nenhum Plano de Arquitetura e/ou de Engenharia, por mais simples que fosse.! E logo em seguida, foram obrigados a Evacuar, (Aqui,.. me vem a Lembrança Auspiciosa do FILME ”MILAGRE EM MILÃO” DE VITÓRIO DE SICA” Palma de Ouro do Festival de CANNES) e que por não terem ASAS PARA VOAR (O que não seria Hum PARADOXO!) FORÇOSAMENTE, FORAM CONSTRUINDO SUAS ARQUITETURAS RÚSTICAS IMPERFEITAS E DESIGUAIS, CULMINANDO COM AS EDIFICAÇÕES, QUE SE TRANSFORMARAM EM TABATINGA, CEILÂNDIA, SOBRADINHO, GAMA, PLANALTINA, SANTA MARIA, NOVA GAMA etc, Que foram sendo Edificadas PAULATINAMENTE.! INFELIZMENTE, SEM A Preocupação nem O ”CONCURSO” dos ENGENHEIROS E/OU ARQUITETOS, ENTRE OUTRAS QUE CRESCERAM E SE ESTICARAM, “SEM OS CUIDADOS OFICIAIS.”! SEM O PRESTIMOSO ”ADJUNTORUM” DA ARQUITETURA DOMINANTE, TERMINARAM POR CONSTRUIR CASAS, RUAS, VILAS, FAVELAS, FRUTOS DESSA IMPROVISAÇÃO DE “CIDADES SATÉLITES, ONDE A IMPERFEIÇÃO É GRANDIOSA E DESIGUAL, COMO HUM CINTURÃO MALDITO QUE SE ACERCA AO TERRITÓRIO OFICIAL.! HUM CINTURÃO NÃO OFICIAL NO ENTORNO DE BRASILIA.! COMO SE VÊ, A PREOCUPAÇÃO DOS QUE ARQUITETARAM A CAPITAL FEDERAL, ERA TANTA, QUE NÃO HOUVE TEMPO PARA PENSAR NOS QUE TINHAM CONSTRUÍDO A FERRO, A SANGUE E SUOR, AQUELAS MARAVILHAS IMPONENTES, TÃO LOGO, FOSSE TERMINADA A NOVA CAPITAL FEDERAL.! (Não tiveram a menor preocupação com Os Futuros vizinhos..! Olha só no que deu…!!!!!!) Aqui me volto a dizer também que, por mais imponente que seja hum ARQUITETURA,…, MAIS IMPORTANTE SERÃO AS PESSOAS QUE Nela Residam:!! Por isso BRASÍLIA COM TODOS OS SEUS PERCALÇOS, NÃO DEIXARÁ DE SER HUM LUGAR NO PLANALTO CENTRAL QUE HABITARÃO, O GRANDIOSO, O PROFUNDO POVO MESTIÇO BRASILEIRO QUE CIRCUNDA Á SUA PRÓPRIA VERVE “CIRCUNFERENCIAL”! ACREDITO, QUE….: QUEM SALVA BRASILIA, MUITO MAIS QUE A SUA ARQUITETURA ALONGADA E SOLITÁRIA, SÃO ESSES OLHARES HUMANOS QUE HABITAM E QUE SE CONSTROEM NAS FOTOGRAFIAS E NAS RETINAS DOS SONHADORES BENFAZEJOS QUE VOAM, VOAM, NAS SUAS POESIAS NOS SEUS, (DIA A DIA) COM INFINITOS OLHARES PENDURADOS, QUE ENXERGAM COM O CORAÇÃO E COM OS OLHOS, A BRASILIA OFICIAL ARQUITETÔNICA, PORÉM, SEM PERDER DE VISTA, O CINTURÃO DO VERDE, NEM A VERDADE QUE QUEIRAM OU NÃO, AS CIDADES SATÉLITES QUE COMPÕE O QUADRO DE AFLIÇÕES QUE nos consome, COMPÕEM SEU PRÓPRIO CENÁRIO QUE “O PRÓPRIO PEDRO AMÉRICO NÃO PINTARIA.! TALVEZ”……PARA PINTÁ-LO FOSSE PRECISO, A DOR DE TODOS OS TORMENTOS, DOS HOMENS QUE CIRCUNDAM O ENTORNO DE BRASÍLIA E POR CONSEGUINTE, O ENTORNO DO PLANETA TERRA.!!! ASSIM SEJA! AMÉM! Vital Farias. *** Vital Farias é um cantor e compositor brasileiro. [Se quiser,ouça um pouco aqui http://titaferreira.multiply.com/reviews/item/456 ou http://tita-ferreira.tumblr.com/post/36753464111/era-casa-era] Fonte: http://tita-ferreira.tumblr.com/post/36762930252/brasilia-a-capital-federal-e-seus-entornos-malditos _______________________________ TiTa Ferreira comenta: Oscar Niemeyer sempre esteve muito distante do povo. Sambódromo da Marquês de Sapucaí que, assim como os CIEPS, tem a arquitetura elaborada por Oscar Niemeyer. Lá funcionavam dois CIEPs de Educação Infantil (desde 1984), uma creche e uma escola de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Pois é, em 2011 por conta da reforma do Sabódromo (dentro de um projeto maio que o Rio "OffShore" - e Povo fora), os Cieps do Sabódromo foram desativados. http://extra.globo.com/noticias/rio/sambodromo-no-rio-nao-tera-mais-cieps-creches-359893.html Seu Niemeyer esteve no Rio para comemora a tal reforma, sempre é claro ao lado do Poder, e nós, cariocas, não ouvimos uma palavra se quer sobre a desativação dessas escolar. http://www.estadao.com.br/noticias/geral,niemeyer-visita-sambodromo-do-rio-apos-reforma,833134,0.htm Em Niterói tivemos uma calamidade pública, e tirando meia dúzia de gatos pingados do Morro do Bumba (foram enumeras as comunidades atingidas e inúmeras as pessoas desabrigas), mais ninguém foi contemplado com moradia. Muitos desistiram e se podiam, se virara, outros continuam em abrigos. Pois é, o seu Niemeyer é o responsável pelo projeto da "Torre Panorâmica", em local nobre de Niterói http://www.rj.gov.br/web/imprensa/exibeconteudo?article-id=600843 A quem servirá essa torre. E deste "comunista", não saiu nenhum projeto popular de casa para os desabrigadas, nada de escolas... E que "comunista é esse que anda de braços com Eduardo Paes e Jorge Roberto da Silveira? Que "comunista" é esse que compactua com essa política oficial de desmantelamento do país?
Comentar em resposta a TiTa Ferreira
Avatar
TiTaFerreira comentou:
20/12/2012
“Toda a Unanimidade é Burra!” (Nelson Rodrigues). E geralmente é fabricada artificialmente” (Escaramuça, poeta, músico e artista popular) OSCAR NIERMEYER, O ARQUITETO DO SISTEMA Escrito por Raymundo Araujo Filho 17.12.2010 Alguns amigos acharam um pouco demais que eu me disponha a escrever um artigo sobre Oscar Niemeyer, ainda mais um artigo crítico à obra e ao arquiteto considerado, sem nenhum favor, como o maior arquiteto brasileiro, o que não discordo pela sua ousadia e projeção conquistada, mesmo que eu não goste e tenha várias considerações críticas à sua obra e à sua tão propalada ideologia comunista, que para mim, de muito tempo para cá, não passa de auto propaganda, não dele exatamente (a esta altura do campeonato), mas por aqueles que irão viver sob a sua marca no mercado da arquitetura. Ser comunista amigo e eleitor de eméritos direitistas dá um IBOPE danado. Só não ajuda ao Povo entender o que é Comunismo. Também me disseram alguns outros, que o Dr. Oscar está com 103 anos e não mereceria crítica alguma, o que poderia até lhe fazer mal. Ora! Recuso-me a tratar o Dr, Oscar Niemeyer como um deficiente ou debilitado mental. Tenho o visto na TV e ele não demonstra nenhuma senilidade, senão os limites físicos e outros que a sua idade certamente lhe impõe. Se o contrário fosse, eu estaria denunciando os que lhe acompanham nas homenagem, no mínimo por exposição circense de um homem, ao qual tenho críticas, mas que não mereceria tamanha desfeita. Portanto, considero que o Dr. Oscar está de posse de todas as suas faculdades mentais, e sei também que ele não lerá este artigo, pois ele é dirigido muito mais ao público pagante, do que a ele próprio. Outrossim, sei que os artistas permanecem vivos para a eternidade, através de suas obras, e seus críticos com suas críticas pouco lidas, passam desapercebidos no Planeta. Mas, minha intenção não é a eternidade, mas apenas exercitar o dito Millorfernandiano “Livre Pensar, é só pensar!” Começo com uma pequena monografia que tive de fazer para um crédito de História da Arte, que escolhi como uma das matérias eletivas do meu curso de graduação em medicina veterinária, por incrível que possa parecer. A tal monografia versava exatamente sobre a arquitetura de Brasília e do Distrito Federal, pois eu já tinha ouvido falar que o modelo monumental da arquitetura moderna teve como primórdios a necessidade de Luiz XIV (O Estado Sou Eu!) se prevenir das grandes manifestações populares que pipocavam em Paris e na França inteira, prenunciando ao que conhecemos com o Revolução Francesa, depois traída e apropriada por Napoleão III, sob a mentira que as elites poderiam trazer benefícios ao Povo, o que nos ficou conhecido como Bonapartismo. Mas isso já é outra história... Até o início do século XVII, a avenida nada mais era do que um caminho sem graça e barrento. Até que em 1616, Maria de Médicis decide construir uma alameda margeada por árvores. É chamada, então, de Cours de la Reine. Em 1670, o rei Luis XIV encarrega Andre Le Nôtre, o arquiteto paisagista responsável pelo Jardim de Versalhes, de realizar o definitivo alargamento e a transformá-la em uma avenida repleta de jardins, mas totalmente descampada, onde qualquer manifestação popular era facilmente reprimida, além de tornar 10 ou 30 mil pessoas um pequeno grupamento perdido na imensidão do monumental descampado. Esta foi, portanto, a intenção política da reforma do “Grand Boullevard”, o qual foi palco de grandes acontecimentos nacionais da França, inclusive o desfile odioso das tropas de Hitler, por sob L’ Arc du Triomphe, em franca humilhação ao Povo Francês. Mas, ironicamente, foi por ali que passaram presos, a dupla Luiz XIV e Antonieta, em direção ao patíbulo da morte, onde foram decapitados, pelos crimes que cometeram e para o bem da humanidade que, aliás, continua sem pão e sem brioches. Não adiantou nada, a decapitação deles.... Bem, e o Oscar Niemeyer com isso? Vejo muita semelhança nos projetos arquitetônicos do Dr. Oscar com esta perspectiva monumentalista (vide crítica no fim do artigo) em que ele é um dos maiores expoentes, mas não o primeiro e nem o único, tendo sido já criticada, esta arquitetura como sendo própria de Estados e Ideologias Totalitárias, aliás abraçadas por Oscar Niemeyer em sua aproximação com o regime soviético-stalinista, já tão duramente criticado por esquerdistas mais arejados, mas não por ele. Aliás, nasci e cresci em meio a família e amigos de esquerda, que nunca tiveram nenhum apreço ao "comunismo" de Oscar Niemeyer, sempre ao lado da mais deslavada colaboração de classes, de JK a Sarney e de Moreira Franco a Lulla. Não me sai da memória o abraço que deu, em eleições passadas, no Zito (o Rei de Caxias) , pessoa de passado, presente e futuro abjetos, a meu ver. Nestas eleições, nos brindou o arquiteto “comunista” com campanha para....Marcos Maciel, um prócer da Ditadura Militar, mas “pessoa proba e digna”. Indignos devem ter sido os que a Ditadura do Sr. Marcos Maciel seqüestrou, assassinou, torturou ou exilou. Aos comunistas assim, o capitalismo agradece. E muito! A obra arquitetônica de Oscar Niemeyer é vasta e portentosa. Mas não é unanimemente adorada. Um amigo que esteve em Praga, contou-me que encontrou forte resistência a Oscar Niemeyer que andou obrando por lá e, segundo críticos, desfigurou parte da cidade, considerada uma das mais lindas do mundo. Pessoalmente, considero Brasília e o DF uma grande fraude arquitetônica. Uma cidade para a burocracia e os governantes do país não terem contato com o Povo, em tudo dificultado para que possa se fazer presente em protestos, junto a quem decide o nosso futuro. Sempre ouvi dizer, vindo de pessoas inteligentes, que a ditadura militar não iria tão longe, caso a capital do Brasil, fosse no Rio. As cidades periféricas de Brasília, estas não planejadas, têm a cara desta burguesia brasileira e seus lantejoulas que se dizem comunistas. Brasília é uma cidade idiota, para gente que explora pobres, uma perfeita Ilha da Fantasia, mas linda quando vista de avião, há muitos metros de altura.... E é uma cidade muito boa para quem tem dinheiro, aliás como todas as outras. O que pode iludir um pouco é que Brasília e o DF por serem lugares onde circula muito dinheiro, inclusive o da corrupção desenfreada, vaza algum para a “plebe rude”, reproduzindo o modelo de “viver de expedientes” por gerações. Perguntem por aí, qual é a oportunidade que espera um jovem de Gama, Sobradinho, entre outras. Perguntem sobre a saúde pública, saneamento e lazer nestas regiões, onde moram TODOS os que trabalham em Brasília e no DF, mas como servidores e não na burocracia ou donos de grandes negócios, pois estes estão nas “asas da panair”. O Lago Paranoá, com suas mansões e a península do ministro, é outro símbolo desta patuscada oscarniemeyriana. Falta de senso do ridículo, co,o sabemos, é própria de aristocratas. Hoje, Dr. Oscar promiscui seu nome a um prefeito que vive da fraude de ser filho der Roberto Silveira (Rio de Janeiro), mas que não lhe chega aos pés, além de trair o humanismo generoso do ex governador e seu pai, fazendo, o prefeito Jorge Jorge Roberto Silveira, com que Niterói sirva, há 20 anos sob a sua influência, para negociatas da pior espécie que enriqueceu ilicitamente muita gente (e esta afirmação faço publicamente e assinada por mim), além de engendrar um plano de desenvolvimento excludente e artificial, culminando hoje na consecução de um projeto com o seu nome “Caminho Niemeyer", símbolo fálico de um projeto monumentalista, para as elites, em uma cidade que foi vítima de uma tragédia (a das chuvas de Abril), onde persiste um deficite habitacional de quase 20 mil moradias para os mais pobres, em meio a uma desenfreada febre da construção civil para abastados. É (in)digno de registro que o Dr. Oscar Niemeyer e seu escritório de negócios arquitetônico não tenha oferecido NENHUM projeto de casas populares, para a cidade que o acolhe, e sequer tenham percebido a iniquidade de manterem um cronograma de obras faraônicas, que gasta milhões em estruturas turísticas, culminando, entre outras porcarias arquitetônicas, uma Torre Panorâmica, com um restaurante de luxo em sua cumeeira, com vista para a Baía de Guanabara e de costas para Niterói dos pobres, a maioria da população e desgraçadamente alvo da inépcia administrativa friamente calculada, para afastar a pobreza de tão “promissora” cidade, estando nós há 8 meses da tragédia, sem que UMA só casa, ou obra séria de contenção de encostas e planos de Defesa civil, tendo sido executada. É aliado, o Dr. Oscar, de um prefeito que sofre processo de improbidade administrativa, que tentou se desvencilhar na justiça da obrigação de acolher os vitimados pelas chuvas, entre outros atos indignos. Que m* de comunismo é este, o do Dr. Oscar Niemeyer? A perspectiva monumental implementada em Niterói, me remete ao estilo que encontramos, por exemplo, em Dubai,fruto do delírio megalomaníaco do Sheik de Agadir de lá, aliás, próprio de megalomaníacos como o prefeito JRS, entusiasta da figura de Napoleão Bonaparte, em clara falta de senso do ridículo, para não aventar coisa pior, também propulsoras de delírios megalomaníacos. Isto é o que entendo da figura política, profissional e artística do Dr. Oscar Niemeyer. Um Arquiteto do Sistema, seja ele qual for, o importante é que lhe paguem bem. *Raymundo Araujo Filho é médico veterinário homeopata e que não enche seus olhos com megalomaníacos, seja qual forem as suas autopropaladas ideologias, e que sabe que “nós somos o que fazemos, e não o que dizemos que somos. *Monumentalismo 1. Monumentos funcionam como símbolos concretos de uma memória reconstituída e imposta. 2. O monumentalismo é uma tentativa concreta de deter a proliferação de significados relacionados à interpretação de acontecimentos convulsivos. Os monumentos não são os símbolos de liberdade que muitas vezes aparentam ser, mas exatamente o oposto. São sinais de aprisionamento, sufocando a liberdade de expressão, a liberdade de pensamento e a liberdade de recordar. Como supervisores na prisão panóptica da ideologia, gente demais obedece de forma masoquista a sua exigência de submissão. 3. Em seu manto de silêncio, o monumento pode facilmente reprimir contestações. Para aqueles cujos valores eles representam, os monumentos oferecem um espaço tranquilo por meio da familiaridade e da tradição cínica. No monumento, os cúmplices não são sobrecarregados com a alienação que se origina na diversidade de opiniões, nem com a ansiedade das contradições morais. Estão a salvo da perturbação causada pela reflexão. Os monumentos são as casamatas ideológicas definitivas - as manifestações concretas da mentalidade de fortificação. Fonte: http://titaferreira.multiply.com/journal/item/2718/Oscar-Niemeyer-O-Arquiteto-Do-Sistema _____________________________________ TiTa Ferreira comenta: E existe comunista no Brasil? Só os institucionalizados. haja vista o funeral do "Arquiteto do sistema"
Comentar em resposta a TiTaFerreira
Avatar
ilton jornada comentou:
17/12/2012
A resposta ao general é própria de quem alia coragem ao humor! No MAC de Niterói entramos no mar ou o mar entra na gente. Quando fui pela primeira vez mareei! O movimento das ondas, visto dali, deu-me a sensação de estar em um navio. Arquitetura é isto: despertar sensações. Que maravilhosa sensação experimentou Darcy no exame aduaneiro! Ilton Jornada
Comentar em resposta a ilton jornada
Avatar
Thiago de Mello comentou:
17/12/2012
Já passou de primeira,/ ao sabor de costumeira,/ não para ser promovida / a de primeiríssima água / a qualidade da tua arte / literária. A do Darcy com o Oscar e a do Bodó com a Pirahyba levam todos os pelos da mais bela égua. Não me mandaste a tua primeira crônica com o que te dei da Dorsemira nem eu te enviei as anotações milagrosamente nítidas nos seus pormenores, de cores, cheiros, brilhos, palavras e gestos, da nossa despedida no barco que partia para Urucará - que me surgiram das funduras das minha memória numa madrugada do Andirá. Vamos nos cumprir. Teu leitor feliz. Thiago
Comentar em resposta a Thiago de Mello
Avatar
Jô freitas comentou:
17/12/2012
O que posso dizer de mais uma crônica espetacular? Falar ou opinar sobre elas para mim é quase impossivel pois sou gente que gosta de ler mas com pouca instrução para expressar a minha admiração por cada crônica que recebo. Obrigada Ribamar Bessa por mais esta crônica maravilhosa. Bom dia.
Comentar em resposta a Jô freitas
Avatar
Alexandre Goulart comentou:
14/12/2012
Sensacional homenagem ao nosso querido comunista! Abraços,
Comentar em resposta a Alexandre Goulart
Avatar
Helena Lucca comentou:
12/12/2012
Parabéns, professor! Belíssima homenagem a Niemeyer!
Comentar em resposta a Helena Lucca
Avatar
Geraldinho comentou:
10/12/2012
O responsável pelo escritório de Niemeyer, Carlos Lemos, em artigo na Ilustrissima da Folha de São Paulo (9/12/2012) contou que um dia, diante de um hotel na avenida Ipiranga, ele elogiou a gravata de Niemeyer que, imediatamente, tirou-a do pescoço e deu-lhe de presente. "Sempre delicado, com inesperados agrados". Segundo Carlos Lemos, Niemeyer "foi a única pessoa que vimos distraidamente rasgar dinheiro. Não só enrolou apertado o cheque como torceu o canudo, formando uma espiral que esticava e encolhia, puxando-a". Vale a pena conferir na Folha.
Comentar em resposta a Geraldinho
Avatar
Darci Secchi comentou:
10/12/2012
Que maravilha; que delícia de cheiro, digo, de texto... Abç
Comentar em resposta a Darci Secchi
Avatar
moema comentou:
09/12/2012
Demais Bessa! Muito bom o texto! Contato de moema
Comentar em resposta a moema
Avatar
SERGIO SOUTO comentou:
09/12/2012
BOM BAGARAIO CARO BABÁ BESSA!! ABRAÇOVISK!! Contato de SERGIO SOUTO
Comentar em resposta a SERGIO SOUTO
Avatar
Fabiana (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
Linda Linda, linda, linda, até demais da conta
Comentar em resposta a Fabiana (Blog Lima Coelho)
Avatar
Joice Carvalho (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
Avatar
Joice Carvalho (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
Avatar
Gracinha (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
Avatar
william porto (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
_____________________________________ Mestre Bessa, ia escrever sobre essa parada do general, mas fiquei meio constrangido. Você lavou minha alma. Acho que se não sucedeu devia ter sucedido, eu acredito. Parabéns Mestre Bessa, você é meu mestre.
Comentar em resposta a william porto (Blog Lima Coelho)
Avatar
Lourdes Café (Blog Lima Coelho)___ comentou:
09/12/2012
ahahahahaha adorei. Muito de deboche e do cotidiano de um homem engraçado como Darcy
Comentar em resposta a Lourdes Café (Blog Lima Coelho)___
Avatar
Ulisses (Blog Lima Coelho) comentou:
09/12/2012
Matou a pau com a resposta de Niemeyer ao general
Comentar em resposta a Ulisses (Blog Lima Coelho)
Avatar
Socorro Calháu comentou:
09/12/2012
Genial!! Como todos os textos do Bessa!!! Parabéns!!
Comentar em resposta a Socorro Calháu
Avatar
Eneida comentou:
09/12/2012
Adorei.! Só mesmo vc, querido Bessa, para com toda a sensibilidade, falar de Niemeyer junto com Darcy Ribeiro. É muito bom! Mostra que o Brasil tem potencial pois teve essas duas maravilhosas personalidades atuando intensamente. Um abraço, querido Bessa. Eneida Contato de Eneida
Comentar em resposta a Eneida
Avatar
Roberto Zwetsch comentou:
09/12/2012
Bessa, amigo feliz, Darcy e Niemeyer são geniais porque radicalmente humanos, sem firulas bestas, diretos e frescos na simplicidade de viver, de criar, de se relacionar. Não são santos (quem o é?), mas são perfeitos na sua amorosidade e opção pela justiça para este país e para os pobres do mundo. São companheiros que dignificam o Brasil diante do mundo, mas principalmente diante de nós mesmos. Estaremos à altura de suas memórias? Vamos continuar plantando esperança e urgência pelas transformações. Abraço fraterno Roberto Zwetsch - Faculdades EST Contato de Roberto Zwetsch
Comentar em resposta a Roberto Zwetsch
Avatar
Joca Portal do Sertão comentou:
09/12/2012
Querido Bessa: Impagável: o dia em que Darcy Ribeiro teve um sonho erótico com Niemeyer
Comentar em resposta a Joca Portal do Sertão
Avatar
PAULO JACOB SAO THIAGO comentou:
09/12/2012
BABA, MUITO BOA SUA CRONICA, MAIS GOSTARIA DE LHES DIZER Q ME EMOCIONO TODAS AS VEZES Q VEJO ENTREVISTAS DO OSCAR, ELE TRANSCENDE E SUPERA TUDO O Q UM DIA ACHEI IMPORTANTE
Comentar em resposta a PAULO JACOB SAO THIAGO
Avatar
RenattodSousa comentou:
09/12/2012
Avatar
AlbeRTO SANTORO comentou:
09/12/2012
Voce em suas crônicas se supera cada vez que escreve. É uma beleza esta mostra de Darcy e Niemeyer. Duas grandes figuras. E me fez lembrar quando era estudante de arquitetura quando Niemeyer dava uma aulas na jovem, bem jovem, Universidade de Brasilia. E naquela época contava-se que Niemeyer fora chamado para depor em uma comissão de inquérito na câmara dos Deputados. Teriam perguntado porque ele colocou as residências de costas para a avenida W3 e as casas de comércio de frente. Ele teria dado a resposta: "é a representação na Arquitetura/Urbanismo da Burguesia enrabando o proletariado". Não sei se isto foi verdade mas se aplica bem a este grande personagem e homem que fez o nome do Brasil no mundo. Sua crônica é absolutamente genial.
Comentar em resposta a AlbeRTO SANTORO
Avatar
Neymar comentou:
08/12/2012
Sua criatividade não tem fim. Parabens Bessa.
Comentar em resposta a Neymar
Avatar
Ana Stanislaw comentou:
08/12/2012
Linda crônica. Tão sedutora quanto as curvas de Niemeyer. Aliás, ele nos seduziu e encantou com suas sensuais, belas e apaixonantes curvas e você com teus maravilhosos e incríveis textos. Ambos exímios arquitetos: um da curva, outro das palavras. Obrigada!!
Comentar em resposta a Ana Stanislaw
Avatar
aurelio michiles comentou:
08/12/2012
Babá, a foto em questão (réplica das colunas do Palácio do Alvorada e Fusca) é de minha autoria, e foi tirada na cidade de Cunha (SP). Valeu pela escolha. abs A
Comentar em resposta a aurelio michiles
Avatar
Erika Dantas comentou:
08/12/2012
Este é José Bessa, com sua gênialidade, de forma simples e sedutora nos traz dois grandes exemplos de luta....Darcy e Niemeyer.
Comentar em resposta a Erika Dantas
Avatar
Tadeu Veiga comentou:
08/12/2012
Maravilha, manorréi! Sei que o meu amigo Paulo Sergio Niemeyer vai gostar do que você escreveu sobre o bisavô querido, dele e do Brasil.
Comentar em resposta a Tadeu Veiga
Avatar
Weber Figueiredo comentou:
08/12/2012
Oi, Bessa Li e gostei. Gostei e recordei. Darcy, conforme vc. escreve, era um "doido" beleza, muito inteligente. Sobre o apartamento que o Niemeyer deu para o Prestes, um dia te conto a conversa que lá tive com o Prestes sobre financiamento de campanhas. Se algum dia vc. vir o Leonel Kaz, por gentileza, transmita-lhes meus cumprimentos e saudades dos tempos em que trabalhamos juntos. Foi um secretário de estado muito bom, dinâmico e prospectivo.
Comentar em resposta a Weber Figueiredo
Avatar
08/12/2012
Bravo Bessa! Nosso grande arquiteto encerrou sua ultima obra e se despede da vida... Oscar Niemeyer foi o grande arquiteto que conseguiu desarmar o concreto com a sensibilidade de suas mãos... Elas desenharam belas formas. Visitar suas obras era um percurso atrás da beleza que se perdia na sinuosidade das curvas... Contato de Marilza de Melo Foucher
Comentar em resposta a Marilza de Melo Foucher
Avatar
renato veras comentou:
08/12/2012
Maravilhsa cronica. O Bessa entende de brasilidade. Parabens. Seu amigo. Renato Verad
Comentar em resposta a renato veras
Avatar
Vera Nilce Cordeiro comentou:
08/12/2012
Avatar
Jandir Ipiranga Jr comentou:
08/12/2012
Com tanta sabedoria alcançou a simplicidade. E, como diria Leonardo (o multimídia) "A simplicidade é o mais alto grau de sofisticação". Professor aquilo não foi Um sonho, mas sim O sonho !
Comentar em resposta a Jandir Ipiranga Jr
Avatar
Francisco Puri Guarany !! comentou:
08/12/2012
Textos !!, Em As Referencias, são estes dois, seres iluministas, é muito bom, de Apreciar !!, Eu, Particularmente, conheci, os Dois, Convivendo, mais com Darcy Ribeiro, e Em Eventos, Encontrando, o Grande Arquiteto , Fico, muito contente, com o O Texto !!
Comentar em resposta a Francisco Puri Guarany !!